Brasileiros e italianos avaliam programa de biodiversidade

Representantes de órgãos e instituições integrantes do Programa Biodiversidade Brasil-Itália participaram em Salvador (BA) do 1.º Seminário sobre a Cooperação Italiana para o Desenvolvimento no Brasil. O encontro serviu para avaliar a importância do p

  
  

Representantes de órgãos e instituições integrantes do Programa Biodiversidade Brasil-Itália participaram em Salvador (BA) do 1.º Seminário sobre a Cooperação Italiana para o Desenvolvimento no Brasil.

O encontro serviu para avaliar a importância do programa. O presidente do Ibama - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, Marcus Barros, representou a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, no evento e fez palestra sobre biodiversidade.

O programa está voltado para a conservação e uso sustentável da biodiversidade, enfocado nos aspectos da alimentação e produção de renda para as populações locais.

O programa de três anos de duração prevê investimento de pouco mais de 3 milhões de euros e realização de quatro sub-projetos locais e um projeto com ações transversais em âmbito nacional.

Destes projetos, dois deles são executados pelo Ibama, dois pela Embrapa e o outro projeto é transversal, com a participação das duas instituições. Pelo lado italiano Instituto Agronômico Oltramare, de Florença, é o órgão executor, apoiado pela embaixada italiana.

O Projeto 1 é desenvolvido na região do Araripe (CE), onde há duas unidades de conservação - a APA e a FLONA do Araripe. A região é conhecida pela presença de fósseis e da reserva aqüífera.

Este projeto é desenvolvido pela Diretoria de Florestas e Laboratório de Plantas Medicinais do Ibama com foco em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), Capacitação/ Treinamento e Divulgação. Até agora, já foram gastos cerca de 12 mil euros.

O Projeto 2 é desenvolvido na Reserva Extrativista do Cazumbá-Iracena/AC, pelo CNPT - Centro Nacional de Populações Tradicionais e abrange oito frentes de trabalho: óleos vegetais, plantas medicinais, plantas inseticidas, criação de abelhas sem ferrão, atividades tradicionais, borracha e castanha, agricultura familiar e ordenamento da pecuária. A dotação orçamentária para a fase preliminar desse projeto é da ordem de 57 mil euros

Fonte: Ibama

  
  

Publicado por em