Britânicos revelam que peixes também sentem dor

Os peixes, assim como as aves e os mamíferos, sentem dores, informa uma pesquisa científica britânica do Instituto Roslin e da Universidade de Edimburgo, Escócia, cujos resultados serão publicados no número de junho da revista Proceedings of Biology of th

  
  

Os peixes, assim como as aves e os mamíferos, sentem dores, informa uma pesquisa científica britânica do Instituto Roslin e da Universidade de Edimburgo, Escócia, cujos resultados serão publicados no número de junho da revista Proceedings of Biology of the Royal Society.

A pesquisa, realizada com a truta arco-íris, demonstra não apenas a existência de receptores do sistema nervoso na cabeça dos peixes, que reagem aos estímulos, como também que a aplicação sobre a pele de substâncias nocivas pode produzir mudanças profundas e duradouras em seu comportamento e fisiologia.

Fica provado, portanto, que com os peixes ocorre o mesmo do que com os mamíferos superiores. Estes resultados permitem ao cientistas britânicos chegar à conclusão de que os peixes são sensíveis à dor.

O primitivismo dos peixes começa a ter de ser reescrito cientificamente. A presença de nociceptores que respondem a estímulos externos foi demonstrada graças a gravações eletrofisiológicas. A atividade neural foi registrada em um peixe anestesiado, cuja cabeça foi submetida a estímulos mecânicos, térmicos e químicos.

`Encontramos 58 receptores situados na cabeça da truta, que responderam pelo menos um estímulo`, explica Lynne Sneddon, que dirigiu a pesquisa.

Esta é a primeira vez que se demonstra em um peixe a existência de nocireceptores com as mesmas propriedades que a dos vertebrados, os pássaros e os mamíferos, incluindo os seres humanos.

`No entanto, os limites mecânicos das reações são inferiores aos da pele humana, o que pode se dever a uma fragilidade maior da pele do peixe`, acrescentou Sneddon.

Como a reação a uma substância nociva não é suficiente para demonstrar a percepção da dor, foi preciso demonstrar que o comportamento do animal é afetado de maneira negativa pela experiência dolorosa e que essas modificações do comportamento não são somente devidas a um reflexo.

Fonte: Agência Brasil

  
  

Publicado por em