Carros ecologicamente corretos são tema do Seminário VE 2007

Diferentes exemplos de veículos elétricos e de tecnologias para o uso da eletricidade em carros, ônibus e motos, com o objetivo de torná-los mais eficientes do ponto de vista energético e menos poluidores, podem ser visto

  
  

Diferentes exemplos de veículos elétricos e de tecnologias para o uso da eletricidade em carros, ônibus e motos, com o objetivo de torná-los mais eficientes do ponto de vista energético e menos poluidores, podem ser vistos no 5° Seminário e Exposição de Veículos Elétricos, que acontece no Rio de Janeiro, nos dias 25 e 26 de outubro (quinta e sexta-feira), das 8h30 às 18h, no Centro Cultural Light (Avenida Marechal Floriano nº 168, centro).

O acesso à exposição de Veículos Elétricos é gratuito.
A exposição apresenta curiosidades, como o Agix A1, que expressa a moderna tecnologia automotiva por utilizar baterias carregadas com energia eólica (do vento), e o ônibus elétrico híbrido solar, desenvolvido pelo Cenpes - Centro de Pesquisas da Petrobrás e fabricado pela Eletra Industrial, cujas baterias elétricas são reabastecidas pelas células fotovoltáicas (painéis solares) colocadas sobre o teto do veículo.

"Teremos, também, exemplos de veículos elétricos que já estão sendo fabricados pela indústria nacional, como motos, scooters, patinetes e carrinhos de supermercado, além de um automóvel híbrido (movido por motores elétrico e a combustão) para o transporte de passageiros (Prius, da Toyota, em avaliação no Cenpes da Petrobrás), grande sucesso de vendas na Europa e nos Estados Unidos", diz Antonio Nunes Junior, diretor-presidente da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE).

O local para a realização da exposição não foi escolho à toa. No Centro Cultural Light, além de um antigo bonde utilizado, no passado, para o transporte público urbano do Rio de Janeiro, está um caminhão elétrico, fabricado por volta de 1907 pela Comercial Truck Co of America, que serviu para os serviços de reparo e apoio à rede elétrica da empresa entre 1918 e 1924.

A relíquia, um modelo movido a quatro motores elétricos montados diretamente sobre rodas e alimentado por 10 baterias, foi totalmente restaurada para lembrar que a Light foi pioneira em trazer esta tecnologia para o Brasil, considerando que, hoje, os VEs são novamente importante alternativa para o transporte mundial. E a proposta da Light é investir em pesquisa e desenvolvimento para estimular a utilização destes veículos outra vez.

A mostra contempla o transporte de passageiros, o coletivo público, o individual, o comercial e industrial e as pesquisas universitárias. Quanto ao Seminário, também organizado pela ABVE e pelo Instituto Nacional de Eficiência Energética (INEE), reunirá especialistas de vários setores para a discussão dos principais aspectos relacionados aos veículos elétricos, sejam a bateria, híbridos e a célula a combustível.

Resumo dos veículos em exposição

Carro movido a vento

A montadora de veículos elétricos brasileiros Agix Motor Company traz para a exposição VE 2007 o carro elétrico Agix A1 que apresenta uma das mais avançadas tecnologias automotivas: suas baterias são carregadas com energia eólica (do vento).

Ecologicamente correto de acordo com as normas de Gestão Ambiental, já que não poluem e não emitem ruídos, os carros produzidos pela Agix podem ser utilizados tanto para o transporte de carga como de passageiros e têm autonomia de 8 a 10 horas, além de grande mobilidade-raio de giro de 2,3 a 3,4 metros.

O carro utiliza 6 unidades de baterias de 8V cada, totalizando 48V, freios a disco de dupla atuação em cada roda, mede 255 x 110 x 125 cm, tem 12 cm de altura e pesa em torno de 400 kg.

Bateria de litium, como a dos telefones celulares:

O Agix ficará exposto no estande da WEG, ao lado de uma Saveiro elétrica, batizada de Weg Ii - Vew II, equipada com 53 baterias de lítium-íon 3,2V 30Ah (tecnologia semelhante a utilizada em telefones celulares).

A bateria de litium é considerada a "redenção" dos veículos elétricos, pois permite carga rápida, tem vida útil de sete a oito vezes superior à das baterias chumbo-ácidas e é muito mais leve. As questões de custo e segurança ainda são as principais limitações para a utilização deste tipo de bateria nos automóveis, mas os especialistas acreditam que, assim como aconteceu com a telefonia móvel, o avanço tecnológico encontrará soluções em curto espaço de tempo.

Célula a hidrogênio:

Também no estande da WEG poderá ser visto um kart a célula a combustível, uma tecnologia eletro-química que produz eletricidade por meio da combinação do hidrogênio com o oxigênio. Hoje, são várias as alternativas de produção de hidrogênio para a geração de energia elétrica através de células a combustível (carvão, petróleo, gás natural, pela eletrólise da água com a energia elétrica vinda da energia solar, hidráulica, eólica, nuclear etc).

Carros elétricos puros:

No estande da GPS Electric Movement serão apresentadas algumas versões de motorizações do modelo Future (scooter elétrica) e de triciclos. A empresa, sediada em Natal (RN), atende o segmento urbano e coletivo, disponibilizando no mercado nacional uma linha de mini transportes elétricos, entre os quais scooters elétricas com versões de 500 e 800 Watts, patinetes elétricos de 300 a 500 Watts, triciclo elétrico de 300 Watts e um quadriciclo com motorização de 1000 Watts, com tração nas duas rodas.

Para o segmento industrial, a empresa oferece o modelo Eletrocargo (patinetes elétricos) de 500 Watts com cesto, ideal para o transporte interno de pessoal e de pequenas cargas nas empresas, visando otimizar o custo do deslocamento e proporcionar agilidade e eficiência entre os setores.

Também para empresas e para os aeroportos, a GPS estará lançado, em breve, uma linha de produtos com modelos de carrinhos Tracionadores com acoplamento, cesto, rodas com capacidade de carga de até 500kg, e que suportam, ainda, o condutor e mais três passageiros.

O carro-chefe da GPS é a scooter elétrica Future, responsável por 70% da produção. A empresa comercializa cerca de 150 peças por mês ao preço médio de R$ 1.950,00 por produto.

Motos elétricas:

A CPFL Energia, que caminha para uma inovação em sua frota de veículos já testando a utilização de VEs, mostrará as motocicletas elétricas Scooter, fabricadas pela montadora Bramont, na Zona Franca de Manaus. Quatros destas motocicletas em teste na empresa, sediada em Campinas (SP) que, no ano passado, também adquiriu um Pálio movido 100% por energia elétrica, veículo produzido por Itaipu em parceria com a Fiat.

Com design moderno e jovial, a linha de scooters Evader praticamente não exige de manutenção, realidade garantida pelo número reduzido de componentes mecânicos que sofrem desgaste ou que necessitam de ajustes permanentes. Também não há necessidade de troca de óleo ou de fluídos do sistema de refrigeração.

O motor elétrico no lugar de um motor a combustão elimina o sistema de escapamento de gases, a caixa de marchas e o sistema de transmissão, que transfere a força do motor para a roda, além de uma série de outros componentes que existem em um veículo de duas rodas convencional, como alavancas e cabos. O motor elétrico dos scooters Evader está montado junto com a roda traseira, que traciona o veículo.

Híbrido solar :

O que não falta é ousadia no setor dos elétricos, quando o assunto é pesquisa e desenvolvimento. O Centro de Pesquisas (Cenpes) da Petrobrás apresentará ao público do VE 2007 um ônibus elétrico híbrido que tem a carga de suas baterias abastecidas com energia solar captadas por painéis de células fotovoltaicas instaladas no teto do veículo.

O ônibus circulará pelas imediações levando os interessados para um passeio educativo. O protótipo foi fabricado pela Eletra Industrial, empresa sediada em São Bernardo do Campo (SP) e referência na fabricação ônibus elétricos e híbridos, parceira da Petrobrás neste projeto. O ônibus da Petrobrás pode ser comparado a um trólebus que, em vez de usar rede elétrica, gera a sua própria energia a bordo.

A Eletra mantêm 37 trolebus e 40 ônibus elétricos híbridos em circulação na Grande São Paulo, já exportou para Nova Zelândia 30 sistemas para trólebus e prepara o envio de outros 30 para aquele país e negocia, atualmente, a modernização de 60 trólebus e a fabricação de 130 novos VEs para o México. Nova Zelândia e México são dois dos países que já adotaram medidas drásticas para substituir a frota de veículos a combustão por elétricos para reduzir os problemas ambientais que causam sérios problemas à saúde da população.

Veículos de passageiros:

Para quem pensa que os VEs não saíram das pranchetas, a Petrobrás também mostrará o Prius, da Toyota, primeiro veículo de passeio híbrido a ser comercializado em grande escala no mundo, eleito o carro do ano na Europa em 2004. O Prius tem um amplo mercado nos Estados Unidos, Japão, Austrália e países da União Européia e tornou-se popular entre estrelas de Hollywood, como cantor Sting, a atriz Cameron Diaz e o ator Leonardo Di Caprio.

A tecnologia empregada pela Toyota garante bons resultados ambientais. O Prius atende o que é exigido pela norma ambiental européia Euro IV (uma das mais rígidas do mundo). As emissões de hidrocarbonetos e de óxidos de nitrogênio, por exemplo, são 88,8% menores do que o regulamentado pela EURO IV para motores a gasolina e 93% menores do que a norma específica para propulsores diesel.

A preocupação com o meio ambiente aparece, também, no sistema de luzes. Na traseira, o veículo possui luzes de freios com LEDs, que, para serem acionadas, consomem menos energia em comparação aos bulbos convencionais.

A gerência de Desempenho de Produtos em Motores do Cenpes da Petrobras importou o Prius em 2002 para melhor conhecer esta tecnologia quando aplicada com combustíveis nacionais, considerando que a frota dos VEs está em crescimento no mundo todo, com destaque para os Estados Unidos, Europa e Japão.

Serviço:
VE 2007 - 5° Seminário e Exposição de Veículos Elétricos
Data: 25 e 26 de outubro
Horário: das 8:30h às 18:00h
Local: Centro Cultural Light - Avenida Marechal Floriano nº 168, Rio de Janeiro, RJ

Fonte: Ateliê da Notícia

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em

Adriana Araújo

Adriana Araújo

28/10/2009 21:10:36
Tente, invente, faça um mundo diferente! Como acabei de ler em um artigo na net: "O cadáver está para o crime assim como o resíduo para a poluição" É tentando se redimir que se vira um santo. Um anjo! melhor ainda.

Terezinha Alves

Terezinha Alves

07/05/2009 20:50:58
Mesmo com todo esse esforço, continua poluindo!