Coca, McDonald`s e Unilever prometem eliminar gases que causam efeito estufa

Greenpeace comemora mais uma vitória na guerra contra a mudança climática, após três empresas líderes mundiais dos setores de alimentos , fast-food e refrigerantes terem se comprometido hoje a eliminar gradualmente a utilização de equipamentos que contêm

  
  

Greenpeace comemora mais uma vitória na guerra contra a mudança climática, após três empresas líderes mundiais dos setores de alimentos , fast-food e refrigerantes terem se comprometido hoje a eliminar gradualmente a utilização de equipamentos que contêm hidrofluorcarbonetos (HFCs) no seu mecanismo de refrigeração.

Onze anos após o início da campanha contra o uso destes gases, que são responsáveis pelo efeito estufa, o Greenpeace mostra ao mundo que o futuro da refrigeração pode causar menos impacto no clima do planeta.

O Greenpeace e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) apoiam a iniciativa da Unilever,Coca-Cola e McDonald’s em dar início à eliminação de HFCs nos equipamentos de refrigeração. As empresas apresentaram seus programas durante uma conferência realizada hoje em Bruxelas.

Este comprometimento das empresas é o resultado das exigências feitas pelo Greenpeace durante o período que antecedeu os Jogos Olímpicos de 2000, em Sydney, quando a organização exigiu que os líderes de mercado em diversos setores se comprometessem com um futuro livre de HFC.

Um mês após o lançamento de uma grande campanha de conscientização dos consumidores sobre estes problemas, a Coca-Cola comprometeu-se em eliminar gradualmente a utilização destes refrigeradores até a realização da Olimpíada de Atenas em 2004.

Em 1993, quando o Greenpeace desenvolveu e divulgou o refrigerador Greenfreeze - a primeira geladeira do mundo livre de CFC (clorofluorcarboneto) e HFCs -, provou que esses gases são desnecessários nos processos de refrigeração.

Os refrigeradores Greenfreeze revolucionaram a tecnologia, tornando-se um padrão industrial de produção de refrigeração doméstica.

“O Greenpeace saúda o comprometimento feito pela Unilever, Coca-Cola e McDonald’s. Nós pedimos para que seus concorrentes, como Nestlé, Pepsi e Burger King, sigam esta tendência. Mas esta ação positiva das empresas é apenas parte do caminho.

Para a solução completa do problema, os governantes também precisam agir. Os políticos não podem ficar parados esperando o mercado definir o caminho que deve ser trilhado pelo governo” , disse Gerd Leipold, diretor-executivo do Greenpeace Internacional.

Até 2005, a indústria de sorvetes da Unilever, que detém a marca Kibon, afirma que comprará apenas cabines de refrigeração livres de HFCs. Até agora, mais de 14 mil equipamentos já foram substituídos.

Em todo o mundo, a Coca-Cola pretende converter milhões de máquinas de venda automática em refrigeradores livres de HFCs. O McDonald’s promete fazer mudanças em 30 mil lanchonetes,trocando 11 tipos de equipamentos refrigeradores, incluindo ar-condicionado, freezer portátil e refrigerador de bebidas ,por equipamentos alternativos.

Pesquisas em tecnologia de ponta sustentam a decisão destas três empresas, fazendo com que os equipamentos sejam viáveis e justifiquem os milhões de euros investidos.

Fonte: Greenpeace

  
  

Publicado por em