Conselho autoriza importação de milho argentino geneticamente modificado

O Conselho Nacional de Biossegurança autorizou, em sua primeira reunião, na sexta-feira (27/5), a importação de 400 mil toneladas de milho geneticamente modificado, das marcas CRY1ab e CRY1ac, pela Associação de Avicultores de Pernambuco. O Ibama - In

  
  

O Conselho Nacional de Biossegurança autorizou, em sua primeira reunião, na sexta-feira (27/5), a importação de 400 mil toneladas de milho geneticamente modificado, das marcas CRY1ab e CRY1ac, pela Associação de Avicultores de Pernambuco.

O Ibama - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis e a Anvisa - Agência Nacional de Vigilância Sanitária tinham autorizado a entrada do milho, de procedência argentina, no país.

O conselho proibiu a importação do milho NK 603, produto procurado por algumas empresas brasileiras.

Outra decisão do Conselho foi autorizar a comercialização de produtos transgênicos semelhantes a outros liberados pela CTNBio - Comissão Técnica Nacional de Biossegurança.

Antes, com a liberação da CTNBio, setores do agronegócio não precisavam enfrentar processos longos para garantir a venda dos produtos.

O Conselho se reunirá novamente , para discutir a regulamentação da Lei de Biossegurança, que instituiu o conselho e a CTNBio. As informações são do sub-chefe adjunto de Análise e Acompanhamento de Políticas Governamentais, da Casa Civil, Johaness Eck.

Fonte: Agência Brasil

  
  

Publicado por em