Corante ajuda a combater fraude com óleo diesel

Adicionar um corante vermelho ao óleo diesel do tipo interior (ou B) para diferenciá-lo do óleo diesel metropolitano (tipo D), que é menos poluente por apresentar menor teor de enxofre, portanto, mais caro para ser produzido, foi a medida adotada pela ANP

  
  

Adicionar um corante vermelho ao óleo diesel do tipo interior (ou B) para diferenciá-lo do óleo diesel metropolitano (tipo D), que é menos poluente por apresentar menor teor de enxofre, portanto, mais caro para ser produzido, foi a medida adotada pela ANP - Agência Nacional de Petróleo para evitar sua comercialização em regiões onde apenas o segundo produto pode ser vendido.

A fraude foi constatada pelo Programa de Monitoramento da Qualidade dos Combustíveis da ANP. Com a adição do corante, desde a semana passada, antes que o diesel seja vendido às distribuidoras, os fiscais da ANP poderão, apenas pela visualização do produto, distinguir um tipo do outro.

Os postos que descumprirem a determinação poderão ser autuados por venda de produto fora das especificações técnicas.

De acordo com a regulamentação da ANP e por indicação do MMA - Ministério do Meio Ambiente, nos municípios das regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza (CE), Recife (PE), Aracaju (SE), Salvador (BA), Belo Horizonte (MG), Vale do Aço (RJ), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Campinas (SP), Baixada Santista (SP), São José dos Campos (SP), Curitiba (PR) e Porto Alegre (RS) só pode ser oferecido diesel metropolitano.

A produção desse tipo de combustível com características menos poluentes, requer tipos específicos de petróleo, em geral de preço mais elevado, ou o emprego de processos adicionais para limitar ou eliminar compostos indesejáveis encontrados no petróleo.

Fonte: Agência Brasil

  
  

Publicado por em

Claudeci Almeida Prado

Claudeci Almeida Prado

04/01/2009 11:54:19
e muito extenso nossos trabalhos de metodos e formulas anti fraudes combustiveis, mandem v email.
gratos
Claudeci