CPI investiga contrabando de madeira e aves na Bahia

A CPI que investiga o tráfico de animais e plantas silvestres já ouviu sete testemunhas na Assembléia Legislativa da Bahia na quarta-feira (08/1). Os deputados pretendem ouvir, no total, 16 depoentes sobre denúncias de tráfico de animais silvestres e pau

  
  

A CPI que investiga o tráfico de animais e plantas silvestres já ouviu sete testemunhas na Assembléia Legislativa da Bahia na quarta-feira (08/1). Os deputados pretendem ouvir, no total, 16 depoentes sobre denúncias de tráfico de animais silvestres e pau brasil no Estado.

Entre as testemunhas ouvidas nesta data, estava o ex-traficante Joselito dos Santos, que desde 1990 esteve envolvido no comércio ilegal de animais silvestres. Ele apontou o mexicano Juan Carlos como um dos principais negociadores daquela região.

O mexicano importava os animais por meio da firma fantasma Real Importação Exportação e fazia araras e periquitos passarem por frangos.Segundo o relator da CPI do Tráfico de Animais e Plantas Silvestres, deputado Sarney Filho (PFL-MA), o comércio ilegal é intenso naquela região. De acordo com ele, há várias denúncias também de tráfico de pau brasil.

"Na Bahia nós só temos 3,8 % de mata atlântica preservada e é o estado que mais tem e que de onde mais sai pau brasil. Pegamos um americano com mais de 20 toneladas para exportar".

No dia 09/1, os integrantes da CPI reuniram-se na Câmara de Vereadores de Eunápolis, também na Bahia. Eles ouviram depoimentos de Vicente Loyola, Luiz Gonzaga Batista, José Caliman, Agostinho e José Amário, todos sobre denúncias de contrabando de madeira.O deputado Sarney Filho informou ainda que o relatório final da Comissão será entregue em 28 de janeiro.

Fonte: Agência Câmara

  
  

Publicado por em