Curso em Caracaraí-RR apontou opções ao uso do fogo na agricultura

O Núcleo de Educação Ambiental (NEA) do Ibama e a Embrapa promoveram, de 25 a 29 de agosto, na cidade de Caracaraí (RR), o curso “Educação ambiental para uma agricultura sustentável – técnicas alternativas ao uso do fogo”. O objetivo

  
  

O Núcleo de Educação Ambiental (NEA) do Ibama e a Embrapa promoveram, de 25 a 29 de agosto, na cidade de Caracaraí (RR), o curso “Educação ambiental para uma agricultura sustentável – técnicas alternativas ao uso do fogo”.

O objetivo foi minimizar os impactos das queimadas sobre a biodiversidade local, visando o aumento da produtividade e a redução dos custos na agricultura familiar. O curso foi na Associação Pesqueira do Município de Caracaraí.

A cidade foi escolhida como piloto por se tratar do local onde se inicia o arco do fogo em Roraima. As queimadas são um motivo de preocupação na região.

Além de provocar incêndios florestais de grandes proporções e atingir áreas preservadas, como as Unidades de Conservação, afetam também a flora e a fauna.

O Estado de Roraima já sofreu com esse problema em 1998 e agora, em 2003. Dados do Corpo de Bombeiro mostram que 95% do fogo concentra-se em áreas de assentamentos do INCRA.

O curso foi ministrado por técnicos da Embrapa e Analistas Ambientais do IBAMA. Ao contrário do que se pensa, o solo da Amazônia é pobre em nutrientes e, quando utilizado de forma inadequada, gera diversos problemas, como erosão, perda de fertilidade, desertificação, assoreamento de rios, dentre outros. Um bom exemplo dessa má utilização são os desmatamentos, seguidos das queimadas para a limpeza do solo na agricultura familiar.

Fonte: Ibama

  
  

Publicado por em