Ministério Público Federal criou um grupo de trabalho para reparar os danos aos recursos hídricos

Acatando proposta da rede de ONGs ambientalistas do Movimento Grito das Águas, o Ministério Público Federal – através do Procurador Alexandre Camanho (DF) – criou um grupo de trabalho para reparar os danos aos recursos hídricos e saúde na 4a.

  
  

Acatando proposta da rede de ONGs ambientalistas do Movimento Grito das Águas, o Ministério Público Federal – através do Procurador Alexandre Camanho (DF) – criou um grupo de trabalho para reparar os danos aos recursos hídricos e saúde na 4a. Câmara da Procuradoria Geral da União (responsável pela apuração de crimes contra o meio ambiente e patrimônio cultural).

A proposta havia sido aprovada por dezenas de ONGs no Fórum Social das Águas realizado na cidade de Cotia (SP) na semana mundial da água (16 a 23 de março) e consta da Carta Social das Águas (documento oficial do encontro disponível na internet).

A idéia é que esse Grupo de Trabalho atue como força-tarefa dedicada a tratar de passivos ambientais históricos onde os ambientalistas denunciam o descaso das autoridades no cumprimento da legislação ambiental brasileira, uma das melhores do mundo apenas no papel, como forma de atuação da sociedade civil e do Ministério Público neste ano internacional da água doce.

Caso Cataguazes será o primeiro

A recente contaminação dos rios Pomba e Paraíba do Sul e do oceano nos estados de Minas, Rio de Janeiro e Espírito Santo com lixo tóxico proveniente de uma indústria de papel e celulose de Cataguazes – MG, em que ambientalistas lutam para que o crime não fique impune, será o primeiro dos casos a ser tratado em conjunto pela Procuradoria Geral da República com as Procuradorias Regionais do.Distrito Federal e Rio de Janeiro.

A primeira reunião conjunta acontece na próxima segunda feira, às 14 horas, na sede da Procuradoria Regional do Rio de Janeiro na Rua Uruguaiana – Centro do Rio de Janeiro. A reunião será coordenada pelo Procurador Federal Alexandre Camanho. Representando os ambientalistas estará presente Leonardo Morelli, coordenador do Movimento Grito das Águas.

Informações: (11) 9915 726 ou (11 )96253912

Fonte: Movimento Grito das Águas

  
  

Publicado por em