Audiências públicas debatem criação do Distrito Florestal Sustentável do Carajás

O Serviço Florestal Brasileiro promoverá, de 14 a 18 de maio, audiências públicas em quatro municípios dos estados do Pará, Maranhão e Tocantins para debater a criação do Distrito Florestal Sus

  
  

O Serviço Florestal Brasileiro promoverá, de 14 a 18 de maio, audiências públicas em quatro municípios dos estados do Pará, Maranhão e Tocantins para debater a criação do Distrito Florestal Sustentável do Carajás. As audiências têm apoio da Casa Civil, de sete ministérios e dos três governos estaduais, e servirão para debater, com os principais interessados, propostas para a criação do Distrito.

Após as audiências, uma minuta de decreto presidencial será elaborada e encaminhada à Casa Civil da Presidência da República. A expectativa é que o decreto de criação do DFS do Carajás saia no segundo semestre deste ano. Todo o material com características da região e potencial do novo distrito estão disponíveis na página eletrônica do Serviço Florestal Brasileiro (www.servicoflorestal.gov.br ); informações poderão ser solicitadas pelo correio eletrônico: info@sfb.gov.br

Distritos Florestais Sustentáveis são áreas delimitadas territorialmente, onde são priorizadas políticas de fomento a atividades administrativas e econômicas sustentáveis. Essas áreas são beneficiárias de políticas fundiária, de infra-estrutura, de desenvolvimento indústrial, de gestão territorial, de assistência técnica e de educação.

A região do Pólo Siderúrgico do Carajás, na fronteira dos estados do Pará, Tocantins e Maranhão, é a maior produtora de minério de ferro do mundo. Ela concentra 14 indústrias processadoras de ferro-gusa, que, juntas, consomem anualmente cerca de 13 milhões de metros cúbicos de lenha, transformada em carvão vegetal para aquecimento dos fornos. Além da atividade de siderurgia, a região abriga 11 pólos madeireiros, que extraem cerca de 3,3 milhões de metros cúbicos de madeira em tora.

A região é também conhecida pela produtividade de carne bovina, abatendo 10 mil cabeças/dia. Dentre as atividades tradicionais, destaca-se a cultura do babaçu, cujo fruto, folhas e tronco possuem grande potencial econômico. A região de Carajás é uma das áreas de maior concentração de assentamentos no Brasil, distribuídos por três milhões de hectares.

Desmatamento - O desmatamento ilegal produziu grande passivo ambiental. A atividade atinge 40% da região e a madeira é explorada de forma predatória. Tanto assim que, de 2005 a 2006, foram apreendidos 200 mil metros cúbicos de carvão; os autos de infração lavrados nesse período resultaram em multas, somadas, no valor de R$ 500 milhões.

Para organizar e regularizar as atividades econômicas locais, o governo federal, liderado pela Casa Civil, e em parceria com os governos do Pará, Maranhão e Tocantins, decidiu estudar a criação de um distrito florestal sustentável na região.

Com foco no reflorestamento, que recuperaria a cobertura nativa, o distrito de Carajás abasteceria as indústrias siderúrgicas de modo sustentável, criando oportunidades de trabalho em 1,5 milhão de hectares de floresta, em 9,6 milhões hectares de área desmatada (para plantio) e mais 4,8 milhões (reserva legal a ser recuperada). Isto equivaleria a uma produção sustentável de madeira na ordem de 5 milhões metros cúbicos de toras para indústria e de 17 milhões de m3 para carvão vegetal.

Dentre as ações planejadas para a região, destaca-se um programa de difusão da silvicultura de espécies nativas, viabilizado por meio de uma parceria entre o Serviço Florestal Brasileiro e a Embrapa. Outros projetos incluiriam o zoneamento ecológico-econômico regional, programas de crédito florestal com compra antecipada, regularização fundiária, programas de desenvolvimento tecnológico de produtos florestais, programa de desenvolvimento regional sustentável.

As consultas ocorrerão nas seguintes cidades:

Marabá (PA)

Dia: 14 de maio, segunda-feira, de 14h às 17h30min.

Local: Auditório da Secretaria Municipal de Saúde Eduardo Bezerra. Rodovia Transamazônica - Agropólis do Incra - Bairro Amapá.

Açailândia (MA)

Dia: 16 de maio, quarta-feira, de 9h às 12h30min.

Local: Hotel Santa Maria. Rodovia BR-222, Km 1, s/n, Centro.

Paragominas (PA)

Dia: 18 de maio, quinta-feira: de 8h30min às 12h30min.

Local: Auditório Inocêncio Oliveira. Parque de Exposições Amilcar Tocantins, Rodovia PA-125 - CEP 68625170.

Araguatins (TO)

Dia: 18 de maio, sexta-feira, de 9h às 12h30min.

Local: Auditório da Prefeitura Municipal de Araguatins. Praça Ancelmo Duarte Guimarães, s/nº.

Luiz da Motta/SFB

Fonte: Ministério do Meio Ambiente

  
  

Publicado por em

C.m.n

C.m.n

06/11/2008 11:29:20
Gostaria que me explicasse, se esta questão é para por em pratica? se for afirmativo, informar como podemos encher as terras de eucaliptos sem dinheiro no bolso, ja que neste pais só sobrevive os agricultores que acostumou com as cordas no pescoço e aprendeu a calar-se este é chamado de produtor!!!

Juranda Ferreira dos Santos

Juranda Ferreira dos Santos

02/10/2008 09:14:13
Qria entender melhor sobre essa situação da criação do distrito florestal sustentável....vcs poderiam me explicar de forma mais detalhada? Pois gostaria de ficar por dentro desse assunto...
Agradeço...
(cidade de açailandia-MA)

Lyanne Rehder

Lyanne Rehder

Oi Juranda, Essa notícia é de 2007... mas se quiser saber mais detalhes clique nos links que estão na notícia. Eles devem conter informações atualizadas. abs