Manejo florestal no Marajó será regulamentado

O objetivo é permitir a utilização sustentável dos recursos naturais do arquipélago do Marajó.

  
  

Permitir a utilização sustentável dos recursos naturais do arquipélago do Marajó. Esse é o principal objetivo dos estudos que serão desenvolvidos pela Câmara Técnica Setorial de Florestas (CTSF), através de um grupo de trabalho interinstitucional.

O Termo de Orientação e Referência (TOR), documento que aponta informações ambientais e econômicas sobre a região e que irá nortear os trabalhos, foi apresentado na última semana durante a reunião da Câmara Técnica.

"Uma das propostas principais é permitir que a atividade florestal seja regulamentada em áreas de várzeas, de forma que os produtos madeireiros e não madeireiros da floresta possam vir a ser uma fonte de renda permanente para a população, especialmente para os pequenos produtores", afirma Derick Martins, presidente da Associação Profissional dos Engenheiros Florestais (Apef).

A idéia é trabalhar em conjunto com cooperativas do Marajó e empresas, para que todos os setores interessados sejam beneficiados, através de acordos mais justos e sustentáveis.

Os estudos terão como base informações já levantadas por ONGs, empresas, governo estadual e federal.

Até junho deste ano a minuta das normas para o manejo na região deverá ser concluída e encaminhada ao governo do estado, por meio do Instituto de Desenvolvimento Florestal do Pará (Ideflor), que preside a Câmara Técnica

Fonte: Agência Pará de Notícias

  
  

Publicado por em