Óleo de dendê do Pará será transformado em biodiesel na Europa

A produção e o beneficiamento de dendê serão realizados por meio de um acordo entre a companhia europeia e pequenos produtores paraenses

  
  
Produtor paraense

Representantes do governo do Estado reuniram nesta sexta-feira,13, com a empresa europeia de produtos energéticos ACM Bio-Tech, na Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri). O objetivo do encontro foi iniciar negociações à assinatura de um protocolo de intenções para a construção de usinas de beneficiamento de dendê em Moju, Igarapé-Miri e Mocajuba.

A produção e o beneficiamento de dendê serão realizados por meio de um acordo entre a companhia europeia e pequenos produtores paraenses, intermediado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), e com o apoio estruturante do governo do Estado.

Os pequenos produtores cultivam em suas terras mudas de árvores compradas pela companhia europeia, que também cederá máquinas e equipamentos de cultivo. Em contrapartida, a produção dos agricultores deve estar comprometida com a ACM Bio-Tech. A preços anteriormente concordados com as cooperativas dos pequenos agricultores, o pagamento será efetuado pelo Pronaf de forma adiantada, por meio de acordo feito entra a ACM e o MDA.

Em fase de instalação em Belém, a ACM já acordou com 450 famílias dos municípios de Moju, Igarapé-Miri e Mocajuba para a plantação de 3 milhões de mudas em uma área de 15 mil hectares. Em dois anos, na mesma área, devem ser plantados mais 6 milhões de mudas de dendê, algumas importadas do Equador. Até o final do ano, a empresa espera ter uma usina de beneficiamento capaz de produzir 500 toneladas de óleo por dia em cada município. A intenção da ACM é instalar a primeira fábrica antes da plantação das mudas, para beneficiar a produção de dendê já disponível nos municípios.

“O objetivo é exportar 20 mil toneladas de óleo bruto por mês, em um espaço de tempo de pelo menos 18 anos”, explica Carmelo Màngiola, representante da ACM Bio-Tech no Pará. O valor total do investimento, do qual participam bancos suíços e italianos, é avaliado em cerca de 45 milhões de dólares.

Pelo Protocolo de Intenções, o governo do Estado participará do projeto com o apoio de infraestrutura e com a assistência técnica necessária à produção. “No futuro próximo, serão realizadas reuniões com sindicatos, prefeitos e associações de moradores para verificar a aceitação do projeto pela população, antes da assinatura do Protocolo e do início da execução do projeto”, finaliza Antonio Fattore, assessor da Cooperação Internacional para o Desenvolvimento Sustentável (CIDS) do governo do Estado.

A reunião desta sexta-feira, 13, foi realizada na Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri) e contou com a participação de representantes da própria Sagri, da CIDS e da Câmara de Política Setorial de Desenvolvimento Sócio-Econômico.

Os pequenos agricultores interessados em participar do projeto podem entrar em contato por meio do e-mail acmbiotech@gmail.com.

Fonte: Secretaria de Turismo do Pará

  
  

Publicado por em

Antonio barroso da cruz tenorio

Antonio barroso da cruz tenorio

25/07/2011 17:40:33
É uma excelente oportunidade para melhorar a qualidade de vida dos milhares de pequenos agricultores daquela região do baixo tocantins, baião, mocajuba, cametá, igarapè -miri, mojú,e muitas outras pequenas localidades!