Pequenas empresas lucram com sustentabilidade

Estande do Sebrae recebe mais de 250 pessoas e cadastra mais de 100 empresas nos quatro dias de evento

  
  
Sebrae mostrou no evento como a sustentabilidade pode gerar lucro

O estande Sustentabilidade, montado pelo Sebrae na 50ª Equipotel, recebeu nos quatro dias de evento mais de 250 pessoas e cadastrou mais de 100 empresas. No estande, os interessados puderam conhecer cinco empreendimentos que trabalham o conceito de sustentabilidade por meio do programa Sebrae 2014, que prepara os empresários para as oportunidades geradas pela Copa do Mundo da FIFA de 2014. O evento, terminou nesta quinta-feira (13), em São Paulo.

“O estande foi uma vitrine poderosa de aproximação dos empresários interessados em apresentar os seus produtos para um público especializado e comprador”, informou Sylvia Pinheiro, gestora do projeto Talentos do Brasil, desenvolvido pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e pelo Sebrae.

Uma dessas empresas é a Efilux, de São Paulo, que trouxe para o Brasil o Solatube, um sistema de iluminação natural que não armazena energia. O empresário Daniel Markus explica que com sol ou tempo nublado, o sistema consegue captar, transferir e difundir a luz do dia de forma homogênea. “A economia de energia com o Solatube pode chegar a 60%”, diz o empresário. Além disso, o sistema não utiliza baterias, não poluindo o meio ambiente.

Há quatro anos no mercado, a Efilux participou da Equipotel com o objetivo de buscar negócios no mercado hoteleiro e de bares e restaurantes. “Temos clientes em todas as regiões do país na área industrial, residencial e em alguns comércios. Queremos crescer também na área de turismo e entretenimento”.

O Sebrae dividiu o estande Sustentabilidade com o MDA para mostrar o trabalho de 15 cooperativas que participam do projeto Talentos do Brasil. A Cooparaíso, uma das maiores do país na produção e beneficiamento de café, mostrou ao público os cafés gourmets. Com seis mil pequenos produtores associados, a maioria pequenos cafeicultores dos estados de Minas Gerais, São Paulo e Espírito Santo, a cooperativa recebe cerca de 1,5 milhão de sacas de café.

Valor agregado
Segundo Dante Giubilei Neto, supervisor de vendas da cooperativa, os cafés gourmets podem agregar valor a hotéis e restaurantes que tenham interesse em servir produtos diferenciados aos turistas. “Estamos promovendo a qualidade do café brasileiro em locais onde haverá concentração de turistas nos grandes eventos esportivos”, analisa.

  
  

Publicado por em