Pequenos negócios têm a chave para a sustentabilidade

As empresas buscaram novos negócios nos mercados emergentes do Brasil, da China, da Indonésia e de outras economias em expansão

  
  

As micro e pequenas empresas (MPE) têm a chave do mundo sustentável. Assim o especialista em implicações do ambiente e da pobreza para estratégias de negócios, Stuart L. Hart, vê o papel dos empresários na busca de um mundo verde.

O pesquisador da Cornell University, nos Estados Unidos, com mais de 70 artigos sobre o tema, participou na quarta-feira (20/6) de um painel do Sebrae na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20.

Ele escreveu, no início dos anos 2000, em conjunto com o indiano C.K. Prahalad, um artigo sobre a Fortuna na Base da Pirâmide. A teoria de Hart mostra que o modelo atual de globalização está chegando ao fim e que é preciso pensar de forma diferente: “As micro e pequenas empresas são protagonistas desta discussão e, por isso, precisamos criar novas estratégias para incluir o empresariado na agenda da sustentabilidade”, declarou.

Segundo o estudo, uma parte das empresas está concentrada no topo da pirâmide dos mercados, espaço saturado com 800 milhões de consumidores. Por isso, nas duas últimas décadas, as empresas buscaram novos negócios nos mercados emergentes do Brasil, da China, da Indonésia e de outras economias em expansão. “São nichos com 1,7 bilhão de pessoas”, lembrou Hart.

Para crescer, é preciso buscar a base da pirâmide, que tem 4,5 bilhões de pessoas ou mais. Assim, “precisaremos de produtos completamente novos, de produtos inovadores, e não somente adaptados. Essa inovação virá das micro e pequenas empresas”.

Para o presidente do Sebrae, Luiz Barretto, o empresário que apostar na agenda da sustentabilidade terá mais chances de sobreviver no mercado. Segundo ele, existem desafios paralelos ocorrendo simultaneamente.

“É preciso trocar o pneu com o carro em movimento. Na Eco-92, discutimos a questão ambiental e progredimos muito, já que hoje ampliamos esse debate. O Sebrae tem feito um esforço para levar o tema da inovação e da sustentabilidade para o cenário das MPE”.O presidente do Conselho Deliberativo Nacional da instituição, José Roberto Simoes, avalia o encontro como oportunidade de troca de conhecimentos e espaço para aprendizagem.

Estratégias verdes:

Na opinião do diretor-técnico do Sebrae, Carlos Alberto dos Santos, a sustentabilidade é um caminho irreversível para o mercado de consumo e gera oportunidades de novos negócios com estratégias verdes.

Já o diretor de Administração e Finanças, José Claudio dos Santos, acredita que esse debate proporciona a inclusão das MPE no processo de competitividade.

Os participantes do painel sobre o papel das MPE na sustentabilidade contribuíram, ao final do debate, com o fundo do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) como forma de compensar as emissões de carbono durante o trajeto, por avião, para o Rio de Janeiro.

O dinheiro arrecado será negociado em projetos brasileiros do mercado de mecanismo limpo, criado pelo Protocolo de Quioto para auxiliar o processo de redução de gases de efeito estufa.

Visite: www.revistaecotour.com.br

Fonte: Sebrae

  
  

Publicado por em