Projeto Pais leva esperança a produtores rurais de MS

Em 2009, 100 unidades produtivas começam a ser implantadas em Campo Grande

  
  

Joana Tabordo de Mendonça, 40 anos, é uma das 200 assentadas que farão parte, em 2009, do projeto Produção Agroecológica Sustentável (Pais), do Sebrae em Mato Grosso do Sul. Ela diz que, "assim como outras pessoas já passei por muitas dificuldades na vida, mas apesar disso sou persistente. Sempre quis plantar vegetais orgânicos e, agora, está aí a oportunidade que eu precisava".

A agricultora, que vive no assentamento Conquista, em Campo Grande, conta que já teve uma microempresa na cidade, mas há pouco tempo iniciou o trabalho no campo, até então sem nenhuma estrutura e conhecimento, fator que já gerou grandes prejuízos. “Perdi toda uma plantação de vagens porque não queria utilizar agrotóxicos e fertilizantes químicos, então as pragas destruíram tudo. Mas agora, com o projeto, vou começar outra vez, e com melhores condições, para poder viver disso”, afirma.

Joana não é a única que por falta de orientação ficou restrita a condições precárias de produção. Ela, e mais 99 famílias de assentados da capital terão a oportunidade de inovar no sistema de cultivo, e ainda garantir a sustentabilidade e a inserção no mercado, através da plantação de hortaliças e leguminosas sem o uso de agrotóxicos.

A metodologia do Pais oferece produção de baixo custo, que se adequa à realidade do pequeno produtor familiar. Isso é de fundamental importância para os assentados, segundo José Vitório da Silva, 52 anos, que reside no assentamento Pantanal. “Para quem trabalha na roça, é muito importante conhecer sua terra, e produzir de forma correta é uma maneira de não agredir o ambiente e sustentar a família com alimentos de qualidade”, diz.

O agricultor além de ter a oportunidade de produzir alimentos livres de agrotóxicos, terá assistência técnica periódica e poderá comercializar o excedente. Esses são os planos para um futuro próximo e Francisca Valdeonora da Silva, 48 anos, que há muito tempo trabalha com horta, diz que a expectativa é grande. “Estou ansiosa para começar logo, quero ver a coisa se desenvolver, fazer meu negócio evoluir”, garante.

Apesar da ansiedade, a produtora tem consciência de que embora o projeto seja um benefício, ela terá contas a prestar. “Não é todo dia que temos uma oportunidade como essa. Então, cada um vai ter que trabalhar duro, se dedicar, fazer por merecer e cuidar da sua terra”.

Convênio

O projeto de Produção Agroecológica Sustentável (Pais), após convênio assinado entre Sebrae, Banco do Brasil e Prefeitura Municipal de Campo Grande, da ordem R$ 1,5 milhão, vai implantar 100 unidades de produção agrícola em assentamentos de Campo Grande. Outras 100 unidades serão levadas para as cidades de Terenos e Sidrolândia, por meio de convênio com as prefeituras. Em Mato Grosso do Sul, 140 unidades Pais estão em funcionamento, na capital, em Sidrolândia, Miranda e Nioaque.

Serviço:
Sebrae/MS - (67) 3389-5555

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

  
  

Publicado por em