Seminário irá discutir a mineração de agregados e o desenvolvimento sustentável

De 25 a 28 de outubro de 2004 acontece no Royal Palm Plaza Hotel em Campinas, SP, o II Seminário Internacional sobre Agregados para Construção Civil, promovido pela Anepac – Associação Nacional das Entidades de Produtos de Agregados para Construção

  
  

De 25 a 28 de outubro de 2004 acontece no Royal Palm Plaza Hotel em Campinas, SP, o II Seminário Internacional sobre Agregados para Construção Civil, promovido pela Anepac – Associação Nacional das Entidades de Produtos de Agregados para Construção Civil, com patrocínio da Caterpillar. Um público de aproximadamente 300 pessoas é esperado.

O tema do seminário é “Mineração de Agregados e o Desenvolvimento Sustentável”. Produtores de agregados e especialistas nacionais e estrangeiros vão debater os problemas enfrentados pela mineração e discutir formas para produzir com o menor dano ambiental, a fim de evitar conflitos e ter boa convivência com comunidades vizinhas.

Como os agregados da construção civil (areia e pedra britada) são produzidos próximos a aglomerados urbanos, um dos principais aspectos a ser discutido é o ordenamento territorial; como a produção de agregados deve se inserir no planejamento regional.Experiências em outros países e no Brasil serão abordadas.

A tecnologia visando o melhor aproveitamento das jazidas; a redução de ruídos, vibrações e poluentes para a adequação das áreas utilizadas pela mineração para outros usos do solo como ferramenta para o desenvolvimento sustentável será outro tema abordado,
além de gerenciamento, segurança e medicina do trabalho, normas técnicas para o uso de agregados e outros.

Já estão confirmadas a presença de expositores da Austrália, Bélgica, Canadá, Colômbia, Espanha, Estados Unidos, Suécia e Suíça.

O I Seminário foi realizado em outubro de 2001 e contou com um público superior a 300 pessoas. “Muita gente desconhece a importância da produção dos agregados” afirma Fernando Mendes Valverde, diretor- executivo da Anepac.

“A construção civil depende de areia e brita, sem o que não há moradias,escolas, hospitais, fábricas, estradas, usinas, barragens, etc.

O Brasil consome cerca de 400 milhões de toneladas de agregados/ano. Os Estados Unidos, mais de 2 bilhões de toneladas. Isto dá um consumo por habitante por ano de 2 toneladas para o brasileiro e de 8 toneladas para o americano, o que reflete claramente o nível de qualidade de vida dos dois países. O consumo de agregados é medida de desenvolvimento econômico de uma Nação”, conclui Valverde.

“Por falta de conhecimento, a maioria das pessoas acha que mineração é só de ouro, minério de ferro e pedras preciosas. Elas se espantam ao saberem que uma pedreira ou um porto de areia (como são vulgarmente conhecidas as extrações de rochas para britagem e de areia) são também minerações.

Uma pedreira na Grande São Paulo é socialmente mais importante do que uma mina de ouro na Amazônia. Então, discutir a mineração de agregados para que seus produtores possam produzir mais, melhor e ao menor preço possível é fundamental.

A ANEPAC e a Caterpillar ficam felizes pelo seu pioneirismo em proporcionar esse debate” completa Eduardo Machado, presidente da ANEPAC.

Para participar, entre em contato com WR, SP por e-mail ou pelo telefone (11) 37223344.

Fonte: SurPress Comunicação

  
  

Publicado por em