Seplan capacita técnicos para o zoneamento ecológico-econômico do Maranhão

Os resultados do zoneamento são mapas e relatórios, que podem abranger territórios nacional, regional, estadual ou municipal, além de ser regulamentados em Lei

  
  

Questões como as áreas que devem ser destinadas para a plantação de cana-de-açúcar e o avanço desordenado da soja no Baixo Parnaíba serão mais facilmente equacionadas a partir da implementação, até o final deste ano, do Zoneamento Ecológico-Econômico do Maranhão (ZEE/MA). “Com esse importante instrumento de planejamento teremos em mãos base científica para definirmos onde devemos implantar cada um de nossos projetos”, disse o secretário de Estado de Planejamento e Orçamento, Aziz Santos, ao participar da abertura oficial do IV módulo do curso de “Cenários de Impactos Ambientais”.

O secretário de Planejamento salientou aos técnicos maranhenses que estão realizando os Estudos de Cenários do Maranhão, que servirão de subsídios para ZEE, que independente da crise mundial, o Maranhão deve prosseguir em busca do seu desenvolvimento econômico e social compatibilizando a instalação de grandes empreendimentos com a pequena produção, essencialmente de alimentos.

Para Aziz Santos, “apesar de não conhecermos a extensão e a profundidade da crise”, no Maranhão a vantagem é “termos um programa de desenvolvimento sustentável construído, levando-se em consideração às realidades locais, e as metas definidas com ampla participação popular através de fóruns realizados nas mais diversas regiões do estado”.

Participam do curso técnicos das secretarias de Estado de Planejamento e Orçamento (Seplan); Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seagro); Cidades e Infraestrutura (Secid); Turismo (Setur); Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema); do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc) e da Universidade Estadual do Maranhão (Uema).

Coordenado pelo geólogo Valter José Marques da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), vinculada ao Ministério de Minas e Energia, o curso iniciou com uma reunião técnica da coordenação do ZEE/MA - instrumento de fundamental importância para assegurar a proteção ambiental com desenvolvimento econômico e base para elaboração de políticas públicas voltadas à sustentabilidade ecológica, econômica e social, visando compatibilizar crescimento econômico e proteção e preservação dos recursos naturais.

O ZEE é ainda um instrumento de gestão, que possibilita conhecer o meio ambiente e, dessa forma, ter base para a tomada de decisão de definir a hora e o local de melhor executar qualquer projeto ou empreendimento. Nele constam informações e estudos sobre os recursos naturais, o transporte, a agricultura, a situação econômica e condições de vida da população de uma determinada região, entre outros quesitos. Os resultados do zoneamento são mapas e relatórios, que podem abranger territórios nacional, regional, estadual ou municipal, além de ser regulamentados em Lei.

Fonte: O Progresso - MA

  
  

Publicado por em