Teresina implanta tecnologia social no cultivo de hortaliças orgânicas

Agrônomos e técnicos agrícolas, além de multiplicadores, vão receber capacitação e conhecer as temáticas que envolvem a tecnologia.

  
  

O cultivo de hortaliças orgânicas está ganhando espaço nas terras do babaçu, por meio da reaplicação da tecnologia social de Produção Agroecológica Integrada Sustentável (Pais). O processo foi tema de palestra, no sábado (7/3), em Teresina (PI), ministrada pelo ator Marcos Palmeira e pelo engenheiro agronômo Aly N’diaye, criador da tecnologia. Palmeira, além de ator, é produtor rural e utiliza a tecnologia em sua propriedade, no Rio de Janeiro.

A partir de 4 de março, na Escola Municipal Mário Faustino, coordenadores do Pais, agrônomos e técnicos agrícolas, além de multiplicadores, vão receber capacitação e conhecer as temáticas que envolvem a tecnologia. Na ocasião, foi inaugurada uma unidade demonstrativa do Pais, em Teresina.

Para a coordenadora nacional de Agricultura Orgânica do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Newman Costa, a escolha da região deve-se à estratégia de desenvolvimento integrada da Fundação BB, do Sebrae e dos parceiros.

Ela explica que a proposta é criar um ambiente de qualidade de vida, com priorização da agricultura familiar.“São municípios beneficiados por programa do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), como o Fome Zero”, diz.

Agroecologia:

O Pais é montado em torno de um sistema de anéis destinados a culturas diferentes e complementares. O centro é utilizado para a criação de pequenos animais, como galinhas e patos, cujo esterco é utilizado para adubar as plantações que estão nos anéis. A irrigação é feita por gotejamento. Ao redor da unidade, pode ser criado um quintal agroecológico, que serve para reflorestamento, cultivo de frutas e de espécies nativas e comerciais.

A tecnologia já está presente no Piauí, nos municípios de Ipiranga, Padre Marcos e Bocaína. No Território dos Cocais, pretende-se atender 160 famílias.

O projeto tem como parceiros a Fundação BB, Sebrae, MDS, Ministério da Integração Nacional, governo do estado do Piauí, prefeituras locais e a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

Em todo o país, a Fundação Banco do Brasil já reaplicou a tecnologia social em 42 municípios de 14 estados (ES, BA, GO, MG, PB, PI, RN, SE, AL, CE, MS, PE,RO, RJ), com investimentos sociais de R$ 12,2 milhões. São 2.774 unidades construídas em terras de agricultores familiares, em áreas indígenas e quilombolas, atendendo cerca de 10 mil famílias.

Fonte: Gerência de Comunicação e Mobilização Social

  
  

Publicado por em