Diretor da FAO aponta `Fome Zero`como marco mundial na luta contra a fome

As novas metas de cooperação entre o governo brasileiro e a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) foram debatidas na manhã de quinta-feira (13/2), durante reunião entre o diretor geral da entidade, Jacques Diouf e o ministro d

  
  

As novas metas de cooperação entre o governo brasileiro e a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) foram debatidas na manhã de quinta-feira (13/2), durante reunião entre o diretor geral da entidade, Jacques Diouf e o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, na sede do MDA.

De acordo com Diouf, a FAO quer ampliar ações de cooperação técnica com o Brasil, principalmente nas áreas da agricultura familiar e segurança alimentar. Ele mostrou-se entusiasmado com o Fome Zero e destacou que o programa é visto como modelo internacional de combate à fome.

“O Fome Zero está ajudando o mundo a priorizar a luta contra a miséria”, destacou. Segundo Diouf, a FAO quer compartilhar suas experiências de apoio à agricultura familiar e segurança alimentar, auxiliando na transferência de tecnologia para o desenvolvimento das propriedades rurais no Brasil. Ele enfatizou que o momento político do País contribui para uma maior articulação com o governo brasileiro.

“Faltava vontade política do governo em garantir o direito mais básico do ser humano que é o existir. E que só ocorre através da alimentação”, disse.

O ministro Miguel Rossetto agradeceu o apoio da FAO e ressaltou a importância da pesquisa e da ciência na luta contra a fome. O ministro colocou a possibilidade de um maior intercâmbio tecnológico entre a entidade e as instituições de pesquisa do governo, como a Embrapa.

“Estamos redirecionando os instrumentos de pesquisa do governo respeitando as vocações regionais da agricultura brasileira, criando assim condições reais de renda e uma vida mais digna aos trabalhadores do campo”, afirmou.

Rossetto ressaltou a responsabilidade do governo em responder à expectativa do povo brasileiro, “que tem mostrado um enorme entusiasmo e disposição para a eliminação da fome no País”.

Durante o encontro, Diouf apontou que a FAO está disponibilizando US$ 1 milhão a serem aplicados em programas voltados à agricultura familiar e segurança alimentar.

O montante foi viabilizado através da assinatura de três acordos de cooperação técnica entre a entidade e o governo brasileiro, que ocorreu no dia 13/2, às 12h45, no Itamaraty. Após o encontro, Rossetto e Diouf almoçaram juntos na sede da Embrapa.

FAO

A FAO foi fundada há 58 anos com o objetivo de elevar os níveis de nutrição e melhorar a produtividade agrícola dos países. É integrada por 183 nações membros da Comunidade Européia e atua também na aprovação das normas internacionais relacionadas à agricultura e à alimentação.

Fonte: INCRA

.

  
  

Publicado por em