9º Prêmio de Reportagem sobre a Biodiversidade da Mata Atlântica

A Aliança para a Conservação da Mata Atlântica, uma parceria entre as ONGs Conservação Internacional e Fundação SOS Mata Atlântica, está com inscrições abertas para a nona edição do Prêmio de Reportagem sobre a Biodiversidade da Mata Atlântica

  
  

A Aliança para a Conservação da Mata Atlântica, uma parceria entre as ONGs Conservação Internacional e Fundação SOS Mata Atlântica, está com inscrições abertas para a nona edição do Prêmio de Reportagem sobre a Biodiversidade da Mata Atlântica, que tem como objetivo promover o jornalismo ambiental no Brasil, incentivar a produção de reportagens sobre o assunto e reconhecer a excelência profissional de jornalistas que cobrem temas ambientais nas categorias Impresso e Televisão.

As matérias impressas devem ser enviadas em formato Word, acompanhadas do original publicado. As reportagens de TV devem ser gravadas em DVD.O vencedor do primeiro lugar em cada uma das categorias irá participar de um evento internacional de conservação ou jornalismo ambiental. Os segundos e terceiros colocados em cada categoria receberão R$ 5.000 e R$ 2.500, respectivamente.

As reportagens devem tratar de regiões ou temas relacionados à Mata Atlântica, que vão desde pesquisas científicas e seus resultados até sustentabilidade nas práticas agrícolas. O júri é formado por profissionais das áreas de comunicação e conservação ambiental, sem a participação de representantes das instituições organizadoras.

Em 2008, o Prêmio teve 72 inscrições na categoria Impresso e 44 na categoria Televisão. O jornalista Mauri König ficou em primeiro lugar na Categoria Impresso, com a matéria "Cem anos de resistência", publicada no jornal Gazeta do Povo (PR) em setembro de 2007. E a reportagem vencedora na Categoria Televisão foi "Reserva sem lei", apresentada por Bianca Vasconcellos e equipe do SBT Brasil, veiculada em março de 2008. Como premiação, ambos ganharam a participação no Congresso Mundial de Conservação (IUCN World Conservation Congress), realizado em outubro de 2008, em Barcelona.

Na Categoria Impresso, o segundo lugar ficou com Carlos Fioravanti pela reportagem "Semeadores de Florestas", publicada na revista Pesquisa FAPESP, onde escreveu sobre as experiências de restauração da Mata Atlântica.

O terceiro lugar ficou com Herton Escobar, pela matéria "A caminho da praia, Serra do Mar guarda riqueza em fauna e flora", publicada no jornal O Estado de S. Paulo, abordando um pedaço de Mata Atlântica muito conhecido dos paulistanos.

Na categoria Televisão, o segundo lugar ficou com Aline Resende de Carvalho, com a equipe da Rede Minas de Televisão, pela reportagem "Riquezas da Serra do Brigadeiro", que mostra a diversidade de espécies que vivem neste Parque Estadual, o histórico de devastação de áreas naturais para a retirada de minérios e outros recursos na região e também o avanço da ocupação urbana, enquanto a matéria "Assentamento x Mata", que mostra a implantação de assentamentos de reforma agrária no entorno de áreas protegidas de Mata Atlântica, produzida por Beatriz Castro e equipe da TV Globo Nordeste (PE) e exibida pelo programa Nordeste, Viver e Preservar, ficou em terceiro lugar.

Esta iniciativa da Conservação Internacional realizada em 13 países é promovida no Brasil desde 2001 pela Aliança para a Conservação da Mata Atlântica em parceria com o Centro Internacional para Jornalistas (ICFJ) e a Federação Internacional de Jornalismo Ambiental (IFEJ).

Aliança para a Conservação da Mata Atlântica:

Parceria entre a Fundação SOS Mata Atlântica e a Conservação Internacional, a Aliança para a Conservação da Mata Atlântica existe desde 1999 e tem como principais atividades o Prêmio de Reportagem sobre a Biodiversidade da Mata Atlântica, o Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos (CEPF Mata Atlântica) e o Programa de Incentivo às Reservas Particulares do Patrimônio Natural da Mata Atlântica.

Mais informações sobre o Prêmio: www.premioreportagem.org.br

Fonte: Rede de Ong's da Mata Atlântica

  
  

Publicado por em