Inpa lançou livro sobre experiência em educação ambiental

Pequenos Guias do Bosque da Ciência - trajetória de uma experiência de educação ambiental com crianças na Amazônia, de Maria Inês Gasparetto Higuchi e Maria Solange Moreira de Farias, foi lançado no dia 16 de maio, sexta-feira, às 16 horas, por ocasião da

  
  

"Pequenos Guias do Bosque da Ciência - trajetória de uma experiência de educação ambiental com crianças na Amazônia", de Maria Inês Gasparetto Higuchi e Maria Solange Moreira de Farias, foi lançado no dia 16 de maio, sexta-feira, às 16 horas, por ocasião da "Sexta Cultural", que ocorre mensalmente na Ilha da Tanimbuca, Bosque da Ciência, em Manaus (AM).

O livro traz o relato dos movimentos que deram origem a uma experiência em educação ambiental, integrando crianças e adolescentes a partir de 10 anos de idade, moradoras de comunidades vizinhas do Bosque da Ciência, parque zoobotânico do INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, na cidade de Manaus.

Ao discutir estratégias adotadas para essa integração e o processo de formação do programa educativo a partir de uma demanda social específica ao Instituto de Pesquisas, mantenedor do Bosque da Ciência, o trabalho avalia o programa de educação ambiental, centrado em princípios de formação integral e integradora do educando - considerando as problemáticas ambientais e sociais como dimensões de um mesmo mundo.

Segundo as autoras, o livro procura mostrar que a iniciativa e intervenção educativa caracterizadas pela dialogicidade, reciprocidade e cooperação podem resultar positivamente na busca de soluções para problemas socioambientais.

Com apresentação de Marcos Reigota, escritor e professor de renome internacional, o livro é o resultado de um consistente trabalho de Maria Inês Gasparetto Higuchi e Maria Solange Moreira de Farias com o projeto de educação ambiental "Pequenos Guias do Bosque da Ciência", em realização no INPA desde 1994.

"Iniciado a partir de um sério conflito de interesses e representações entre a comunidade científica do INPA e os moradores do Vale do Amanhecer, surgiu trazendo a inevitável perspectiva política da educação ambiental, que pretende intervir e transformar a sociedade com base nas idéias de cidadania, justiça social e sustentabilidade", diz o professor, na apresentação do livro.

Mas não foi apenas o compromisso político que garantiu a pertinência e qualidade do projeto, mas a competência técnica fundamentada em sólidas contribuições da Educação, Psicologia, Sociologia, Biologia e outras ciências e no (re)conhecimento do cotidiano da comunidade onde se quer atuar, acrescenta Marcos Reigota.

Fonte: Inpa

  
  

Publicado por em