Tudo que você precisa saber sobre raios

Defesa Civil alerta sobre os riscos de acidentes nesta época de temporais, até porque também em raios o Brasil é campeão

  
  
Raios

No Brasil, a probabilidade de alguém morrer atingido por raio é de 0,8 por milhão, mas é melhor não desafiar as estatísticas, alerta a Defesa Civil, tendo em vista que nos meses de verão (21 de dezembro a 21 março) aumenta, e muito, a incidência de chuvas e temporais no sudeste brasileiro. E ainda porque também nesse quesito o Brasil é campeão mundial.

A ocorrência dos raios está associada a duas situações: a primeira, a partir da eletrificação causada pela colisão de cristais de gelo na atmosfera; a segunda é restrita a países com vulcões no território e surge a partir de nuvens de cinzas decorrentes da erupção. Embora ocorra com maior frequência nos meses de verão e esteja associado às nuvens negras e chuvas fortes, o raio também pode cair no inverno. Segundo a tenente Aline Betânia Carvalho, da Polícia Militar e da Divisão de Comunicação Social da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil, a orientação de modo geral é a mesma: Com chuva forte, deve-se interromper qualquer atividade ao ar livre em local descampado, como clube, praia, campo de futebol, plantação, pista de pouso. E procurar abrigo em qualquer edificação ou instalação subterrânea, como o Metrô, por exemplo.

Ponto mais alto – Se alguém estiver na rua e não houver nenhuma casa ou prédio por perto, a orientação é ficar agachado, com os pés juntos, até a chuva passar, e nunca deitar no chão. “Evite tornar-se o ponto mais alto de um terreno ou mesmo ficar próximo a ele – para não ser atraído pelo raio.

A construção do para-raio segue este princípio e usa materiais capazes de oferecer menos resistência para a condução da corrente elétrica, direcionada sempre para o solo por um fio terra”, explica Betânia. O veículo costuma ser um local seguro, mas feche vidros e procure não encostar nas partes metálicas. Lugares abertos e descampados devem ser evitados. Se estiver no mar, rio, lago ou piscina, a orientação é também sair imediatamente. Motivo: a água é um eficiente condutor de eletricidade. Durante uma tempestade, deve-se ficar distante de qualquer objeto alto e isolado, como árvore, poste, quiosque, caixa-d’água, etc.

A recorecomendação vale também para objeto metálico, grande e exposto, como trator, escada e cerca de arame. Recomenda-se não soltar pipas, nem carregar objetos como canos e varas de pesca, assim como andar de bicicleta, moto ou a cavalo. Se estiver em casa, evite tomar banho e usar telefone fixo. Procure também se afastar de equipamentos plugados na rede elétrica, como televisor, geladeira e fogão. A recomendação vale também para janelas, tomadas, torneiras e canos elétricos.

Fonte: Governo de São Paulo

  
  

Publicado por em