Embrapa apresenta opção de sistema agroflorestal para produtor familiar

Como conciliar o plantio de espécies madeireiras, ornamentais, forrageiras, graníferas, além de culturas anuais, hortaliças e frutíferas é o que ensinam os pesquisadores Márcio Silveira Armando, Ynaiá Masse Bueno, Edson Raimundo da Silva Alves e Carlos He

  
  

Como conciliar o plantio de espécies madeireiras, ornamentais, forrageiras, graníferas, além de culturas anuais, hortaliças e frutíferas é o que ensinam os pesquisadores Márcio Silveira Armando, Ynaiá Masse Bueno, Edson Raimundo da Silva Alves e Carlos Henrique Cavalcante, da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia.

Eles desenvolveram um sistema agroflorestal, onde convivem bem várias espécies, que produzem já no primeiro ano de implamentação. O sistema, ideal para agricultores familiares, está aberto a visitações agendadas na sede da Embrapa, em Brasília, na Vitrine de Tecnologias. E os que quiserem conhecer, sem a necessidade de ir até lá, têm como opção a Circular Técnica `Agrofloresta para agricultura familiar`.

O documento está disponível gratuitamente na página eletrônica da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, para consulta e impressão.O sistema desenvolvido pelos quatro pesquisadores reúne 36 espécies vegetais, de oito categorias. No grupo florestais, estão mogno, copaíba, açoita-cavalo, cedro e canafístula.

Depois, vêm as biopesticidas, nim e andiroba. O grupo fruteiras de ciclo curto é composto pelas culturas abacaxi, melancia, tomate, maxixe, pepino e mamão e o de frutíferas de ciclo médio por cupuaçu, açaí, banana, pupunha e café.

Dentre as culturas anuais, estão milho, feijão e mandioca. As forrageiras são a gliricídia e o amaranto. Outro grupo foi definido como plantas de cobertura, que são as crotalárias, feijão-de-porco e feijão-bravo. E as ornamentais são as helicônias, alpínia e bastão do imperador.

O módulo agroflorestal sugerido é de 225 metros quadrados (15mx15m). Os autores fizeram também avaliação do custo para implantação do sistema.

A preços de dezembro de 2002, esse valor ficou em R$ 219,75, sendo 56,9% correspondentes a gastos com insumos, materiais, sementes e mudas e os 43,1% restantes com mão-de-obra direta.

Fonte: Agência Brasil

  
  

Publicado por em