Embrapa cria sistema de monitoramento da faixa de fronteira brasileira

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, acaba de desenvolver para a Presidência da República um sistema de monitoramento remoto da faixa de fronteira e de seus recursos naturais.

  
  

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, acaba de desenvolver para a Presidência da República um sistema de monitoramento remoto da faixa de fronteira e de seus recursos naturais.

O sistema vai permitir ao Governo Federal maior controle na vigilância ao longo da faixa de fronteira de 11 mil km, abrangendo 11 estados, do Oiapoque ao Chuí.

A Embrapa Monitoramento por Satélite (Campinas-SP) criou este sistema a pedido do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República que tem, sob a sua responsabilidade toda a faixa de fronteira.

O sistema ajuda a avaliar, espacialmente, as demandas de exploração dos recursos naturais em atividades como garimpo, exploração mineral e energética, fazendas de
grande porte, obras de infra-estrutura e os problemas ou riscos envolvidos destas atividades, além de monitorá-las.

O sistema desenvolvido e disponibilizado pela Embrapa permite, pela primeira vez, uma visão integrada pela Presidência da República, de cada processo de mineração (prospecção, exploração) e de outras atividades, em cada município, estado e em toda a região.

Os cadastros e bancos de dados do DNPM, IBGE, IBAMA, FUNAI e de órgãos federais foram integrados ao sistema.Trata-se de um grande conjunto documental, cartográfico e iconográfico de todas as atividades licenciadas na fronteira brasileira .

Todo o sistema foi construído em Campinas, em base de softwares livres ou de domínio público. Ele responde a perguntas, tem várias formas de acesso, ilustra com mapas, ajuda a elaborar pareceres e relatórios.

O “Sistema de Assentimento Prévio e Gestão de Crises” já foi instalado e está operando na rede interna do Palácio do Planalto.

Fonte: Embrapa Monitoramento por Satélite

  
  

Publicado por em