Embrapa lançou site na Internet com WebGIS para o projeto Estância Jatobá

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, lançou na Internet um website com mapas e WebGIS da Estância Jatobá, santuário ecológico localizado na região da cidade de Holambra,

  
  

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, lançou na Internet um website com mapas e WebGIS da Estância Jatobá, santuário ecológico localizado na região da cidade de Holambra, São Paulo, e considerado pelo governo federal e pelo Ibama como Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN).

O website vai auxiliar a Estância Jatobá em seu sistema agroecológico de produção e em um projeto de conservação da natureza, pesquisa e educação ambiental.

O website apresenta imagens de satélite de alta resolução espacial (Ikonos), utilizadas para identificação e caracterização das áreas da propriedade, ainda fotos, publicações e informações sobre o projeto Estância Jatobá. Toda a propriedade adota o sistema orgânico de
produção e a ferramenta WebGIS - um sistema de informações geográficas utilizado para integrar e disseminar informações geográficas pela Internet - vai auxiliar na certificação de origem e na rastreabilidade dos produtos.

De acordo com o coordenador do projeto, o pesquisador João Alfredo de Carvalho Mangabeira, da Embrapa Monitoramento por Satélite (Campinas-SP), o WebGIS da Estância Jatobá é um belo exemplo de alta tecnologia aplicada ao sistema agroecológico de produção.

`Além de facilitar a gestão da propriedade, esta ferramenta vai permitir a qualquer usuário gerar mapas interativos, lançando mão dos diversos temas que envolvem a realidade da Estância Jatobá, como a área de cultivo de árvores frutíferas, de pasto e mata`, ressalta Mangabeira..

As RPPNs, como a Estância Jatobá, são áreas privadas que têm como objetivo a conservação da diversidade biológica. São classificadas como Unidades de Conservação de Uso Sustentável e podem promover atividades como pesquisa e visitação, com objetivos recreativos, educacionais e turísticos.

A Estância Jatobá tem 84 hectares, integra uma mini-bacia formada pelo Rio Camanducaia, e é circundada por quase vinte nascentes naturais e áreas de floresta.

Os proprietários contam que,na primeira metade do século XX, a terra foi desmatada para se plantar café.

Em seguida os citros tomaram seu lugar e de tempos em tempos plantou-se feijão, arroz, milho e mandioca. Hoje, aproximadamente 50 hectares da propriedade são constituídos de florestas, áreas alagadas ou em vias de reflorestamento, sete hectares são pomares e o resto, pastagens.

O projeto Estância Jatobá, concebido como uma organização educacional e de pesquisa, sem fins lucrativos, dedica-se à promoção e estudo do bem-estar humano, conservação da natureza e um sistema de produção de alimentos sustentável.

O projeto envolve aprendizagem através da
experiência direta, usando o conhecimento empírico local e a pesquisa científica para compreender e melhorar as relações humanas, promover a conservação da natureza e o cultivo sustentável, incentivar o manejo dos excedentes e o uso de uma energia limpa e eficiente.

Embora as florestas da Estância Jatobá, considerando-se os padrões brasileiros, não sejam de grande expansão territorial, elas são importantes na `cadeia de ilhas` que liga a biodiversidade frágil da região.

A poluição do ar, do solo e da água decorrentes de práticas agrícolas já foram eliminadas na propriedade. Há vários anos não são usados pesticidas, herbicidas e fertilizantes químicos e duas variedades de laranja e uma de limão foram certificados para venda como produto natural ou orgânico por uma das mais criteriosas agências
certificadoras do país.

Fonte: Embrapa Monitoramento por Satélite

  
  

Publicado por em