Embrapa pesquisa milho com maior teor de ferro e zinco

Cultivares de milho com melhor qualidade protéica, maior teor de ferro, zinco e pró-vitamina A nos grãos estão sendo desenvolvidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária-Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento g

  
  

Cultivares de milho com melhor qualidade protéica, maior teor de ferro, zinco e pró-vitamina A nos grãos estão sendo desenvolvidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária-Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento graças ao Projeto Harvest Plus.

Para o Brasil, o principal enfoque é o desenvolvimento de variedades para o semi-árido nordestino, devido a carência nutricional e a importância do milho como alimento básico de sua população.

O projeto que será apresentado no Seminário Biofortificação no Brasil: agricultura na Prevenção de Deficiência em micronutrientes, no dia 17 de março, em Brasília, busca o desenvolvimento de alimentos biofortificados que sejam baratos e fáceis de serem produzidos, processados e consumidos de maneira a atenuar o problema da desnutrição nos mais diversos países em desenvolvimento.

Trata-se de um programa internacional originado no Grupo Consultivo em Pesquisa Agrícola Internacional, CGIAR, órgão do Banco Mundial, e que conta com o patrocínio das agências de desenvolvimento internacional de Dinamarca, EUA e Suécia e da Fundação Bill e Melinda Gates.

Riqueza Genética

A Embrapa Milho e Sorgo( Sete Lagoas-MG) possui um grande acervo de linhagens de milho. Numa primeira fase, mais de mil linhagens de diferentes origens estão sendo avaliadas para os nutrientes em questão.

A caracterização dessa riqueza genética servirá como fonte de estudos para pesquisas básicas e aplicadas. As linhagens selecionadas, que apresentarem melhor valor nutricional, serão utilizadas como progenitores de variedades e híbridos biofortificados.

Pesquisas realizadas indicam haver grande variabilidade para os teores de ferro, zinco e pró-vitamina A nos grãos de milho. Estudos conduzidos pela Universidade de Illinois revelaram que a linhagem com maior nível de beta-caroteno apresentou teor de 13,6 ?g/g, cerca de 8.5 vezes maior que a média geral (1,6 ?g/g) de um grupo de linhagens amostradas.

Resultados preliminares obtidos em linhagens da Embrapa indicaram amplitudes de variação de 11.3 à 29.9 mg/kg, para teores de ferro, e 15.2 à 33.5 mg/kg, para teores de zinco em 113 linhagens de milho normal amostradas.

Avaliação de 188 linhagens com qualidade protéica melhorada da Embrapa revelou que teores de Fe e Zn variaram, respectivamente, de 11.3 à 46.8 e 15.2 à 53.8 mg/kg. Estes primeiros resultados são promissores, indicando que há uma grande probabilidade de se desenvolver cultivares de milho biofortificadas a partir de material genético e conhecimento gerados no Brasil e em outros países.

Fonte: Embrapa

  
  

Publicado por em