Embrapa promoverá evento latino-americano sobre minhocas

Conhecer a diversidade e a distribuição das minhocas na América Latina,determinar as espécies de minhocas com potencial de uso na produção de grãos, na floricultura, na horti-fruticultura e também na pesca, além de identificar as espécies ameaçadas de ext

  
  

Conhecer a diversidade e a distribuição das minhocas na América Latina,determinar as espécies de minhocas com potencial de uso na produção de grãos, na floricultura, na horti-fruticultura e também na pesca, além de identificar as espécies ameaçadas de extinção são alguns dos objetivos dos especialistas que participam do I Encontro Latino-Americano de Ecologia e Taxonomia de Oligoquetas que será realizado de 1 a 3 de dezembro, em Londrina, (PR) pela Empressa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

“O papel das minhocas como isca para pescadores; sua importância para o solo e para a produtividade vegetal ainda é pouco conhecido na América Latina, por isso decidimos promover este que será o primeiro evento com o tema no Brasil”, argumenta o organizador do evento, George Brown, pesquisador da Embrapa Soja.

O evento reunirá pesquisadores da França, Alemanha, EUA, México, Cuba, Venezuela, Colômbia, Porto-Rico, Argentina, Uruguai, Peru e Brasil com o objetivo de trocar experiências sobre a ecologia das minhocas na América Latina, além de estabecer as prioridades de pesquisa nesta área.

Brown conta que as minhocas estão entre os primeiros animais presentes na Terra há 600 milhões de anos. Estima-se a existência de 7000 espécies de minhocas, mas apenas 3600 são conhecidas. Na América Latina, o
número de espécies identificadas é de cerca de 500.

”São poucos os trabalhos sobre a biologia das espécies nativas e ou exóticas e o conhecimento da sua diversidade, suas relações ecológicas e a importância nos ecossistemas da região. Por isso, estamos empenhados em aprofundar as pesquisas nesta área”, enfatiza.

Segundo ele, as minhocas desempenham importante papel como engenheiras do solo, porque ao caminhar abrem caminhos no solo, que facilitam a infiltração de água.

“Elas também tem a capacidade de transformar o
solo, porque consomem lixo orgânico e devolvem à terra na forma de húmus, material usado como complemento nutricional em vasos, no caso da floricultura e mudas de horti-fruticultura”, exemplifica.

O evento é dirigido a biólogos, agrônomos, ecologistas, produtores e estudantes. O valor das inscrição é de R$150,00 para profissionais e R$100,00 para estudantes. Mais informações no site.

Fonte: Embrapa Soja

  
  

Publicado por em