Embrapa recebe licença para pesquisas em campo com batata geneticamente modificada

Será anunciada nesta quarta-feira, 19, às 17 horas, durante a abertura oficial da IV Exposição de Tecnologia Agropecuária– Ciência para a Vida, na Sede da Embrapa, a concessão à Empresa de licença para pesquisas em campo experimental com batata gene

  
  

Será anunciada nesta quarta-feira, 19, às 17 horas, durante a abertura oficial da IV Exposição de Tecnologia Agropecuária– Ciência para a Vida, na Sede da Embrapa, a concessão à Empresa de licença para pesquisas em campo experimental com batata geneticamente modificada,cujo gene confere resistência ao vírus Y.

A Licença de Operação para Áreas de Pesquisa ( LOAP) autoriza a pesquisa em campo envolvendo a avaliação de Segurança Alimentar e Ambiental de Batata Geneticamente
Modificada para Resistência ao Potato virus Y (PVY), após avaliações realizadas pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama).

Estarão presentes na abertura da Exposição o ministro Roberto Rodrigues, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a ministra Marina Silva, do Meio Ambiente, o presidente do Ibama, Marcus Barros, e o diretor-presidente da Embrapa, Clayton Campanhola.

Em 1999 e em 2000, foram feitas duas liberações com o objetivo de confirmar a resistência do material em campo bem como avaliar a estabilidade da batata geneticamente modificada no ambiente. Em 2001, as atividades de pesquisa em campo foram interrompidas por força de uma decisão judicial.

Desde então, os estudos foram paralisados devido a mudanças na legislação, inclusive as pesquisas em laboratório. Para obter a autorização, a Embrapa Hortaliças (Brasília-DF) cumpriu uma série de exigências para garantir a segurança do experimento.

Em junho de 2003, a Unidade havia recebido autorização para realizar testes em regime de contenção – laboratórios e casas de vegetação.

Pesquisa tem dez anos

Infecções causadas por vírus causam grandes perdas na cultura de batata.Para enfrentar esse problema, a Embrapa, desde 1994, vem trabalhando no projeto produção de clones de batata resistentes.

Dentre os vírus que infectam a batata, o Potato virus Y (PVY) é hoje, juntamente com o Potato leaf roll virus (PLRV), o vírus de maior importância econômica.

Atualmente, a Embrapa Hortaliças, junto com outras unidades da Empresa,universidades e institutos de pesquisa, avalia o clone denominado 1P, que apresentou alta resistência ao PVY.

O evento Ciência para a Vida reúne as 40 Unidades da Embrapa e parceiras, como universidades, instituições estaduais, órgãos de fomento à pesquisa, governamentais e não governamentais, organismos internacionais e empresas públicas e privadas do Brasil e do exterior.

A exposição é gratuita e aberta ao público de 10 às 22 horas, de 18 a 23 de maio, em frente à sede da Embrapa, localizada no Parque Estação Biológica, no final da W3 Norte e ao lado da Ponte do Bragueto.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da Embrapa

  
  

Publicado por em