Embrapa reúne instituições para diagnóstico de rebanho de búfalos selvagens

O rebanho estimado em mais de cinco mil búfalos em estado selvagem da Reserva Biológica do Vale do Guaporé será objeto para o desenvolvimento de parcerias pelas instituições de pesquisa e de defesa do meio ambiente responsáveis pelo projeto de diagnóstico

  
  

O rebanho estimado em mais de cinco mil búfalos em estado selvagem da Reserva Biológica do Vale do Guaporé será objeto para o desenvolvimento de parcerias pelas instituições de pesquisa e de defesa do meio ambiente responsáveis pelo projeto de diagnóstico dos animais.

A reserva está localizada na região sudoeste de Rondônia, às margens do rio Guaporé, e abriga - além dos búfalos - espécies ameaçadas de extinção como o veado campeiro e a onça pintada.

Desde 2001, a Embrapa Rondônia e o Ibama - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, através do Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA-Probio), desenvolvem o projeto `Búfalos Selvagens da Rebio do Guaporé (RO)`, com o objetivo de realizar o diagnóstico dos animais e verificar os efeitos provocados no ecossistema local.

O estudo é um dos nove finalistas na categoria `Fauna` do prêmio `Super Ecologia 2003`, uma iniciativa da revista `Superinteressante`.

Após a realização de trabalhos de pesquisa dentro da Reserva Biológica e um seminário voltado para a discussão de um possível aproveitamento de indivíduos jovens do rebanho pela comunidade local - constituindo-se em alternativa para atenuar a competição dos búfalos com espécies nativas da região - o coordenador do projeto na Embrapa Rondônia planeja estabelecer parcerias com ONGs, empresas, instituições de desenvolvimento e órgãos governamentais.

`Procuramos maneiras de otimizar a execução do diagnóstico da população de búfalos, executando o manejo adequado do rebanho selvagem`, diz João Paulo Guimarães Soares, pesquisador na Área de Nutrição de Ruminantes.

No último seminário realizado em dezembro do ano passado em Costa Marques, município a 740 quilômetros da capital de Rondônia, o governador do Estado, Ivo Cassol (PSDB), compareceu ao evento e manifestou-se favorável ao trabalho conjunto com as instituições de pesquisa.

Como efeitos do estabelecimento de parcerias, o coordenador do projeto na Embrapa Rondônia cita que os resultados obtidos poderão desenvolver programas municipais e estaduais para o aproveitamento de parte do rebanho em atividades da agricultura familiar.

`A população ribeirinha do Vale do Guaporé seria imediatamente beneficiada`, apresenta. A utilização de alguns animais encontra subsídios na reprodução descontrolada que o rebanho vem apresentando desde a década de 80, quando os búfalos romperam os limites da fazenda Pau d`Óleo - de propriedade do Governo do Rondônia - e invadiram a Reserva Biológica.

Até o momento, foram verificados pelos pesquisadores problemas como compactação do solo e competição desigual com outras espécies animais e vegetais nativas.

Execução :

Pesquisadores da Embrapa, empresa vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e Ibama, planejam executar um estudo do hábito de vida dos animais. Uma das medidas apresentadas para amenizar a competição entre espécies é a domesticação de búfalos jovens, constituindo-se em alternativa para a utilização em atividades agropecuárias, como leite e tração animal. Os búfalos adultos são praticamente impossíveis de serem manejados por encontrarem-se em estado selvagem.

`Não queremos exterminar nenhum animal. Isso é importante ficar claro. Planejamos desenvolver métodos de controle e aproveitamento em uma população de búfalos que vem crescendo desordenadamente nos últimos 15 anos `, diz Soares.

Meio ambiente :

Ainda não se sabe ao certo o número exato de búfalos que habitam a reserva, descendentes de animais das raças `Carabao` e `Jafarabadi` originários da ilha do Marajó e implantados na região para atender a população ribeirinha do Guaporé.

O projeto de quando o estado de Rondônia ainda era Território não deu certo e hoje são necessárias a implantação de medidas para reduzir o impacto ambiental provocada pela espécie.

`Os resultados obtidos terão reflexo na manutenção da ecossustentabilidade do Vale`, acrescenta o pesquisador.

`Neste sentido, o Governo Estadual e ONGs podem ser nossos parceiros para oferecermos condições de melhoria de qualidade de vida das famílias que residem na região`, completa.

Turismo poderá ser incentivado :

A Reserva Biológica do Vale do Guaporé está localizada em uma região de difícil acesso. O principal meio de transporte para se chegar ao Vale são embarcações.

A cidade mais próxima do local - o município de Costa Marques, com pouco mais de 10 mil habitantes (dados do censo IBGE de 2000) - reúne atrações naturais e históricas e tem no turismo, na pesca, na extração vegetal, na silvicultura e nas atividades agropecuárias suas principais fontes de arrecadação.

Para o coordenador do projeto na Embrapa Rondônia, o desenvolvimento de ações conjuntas seria ainda uma alternativa para atrair investimentos para a região, otimizando duas modalidades de turismo: o histórico - que tem no Forte Príncipe da Beira uma das principais atrações - e o ecológico, movido pela quantidade de riquezas naturais.

Agentes facilitadores para o desenvolvimento do projeto podem entrar em contato com a Embrapa Rondônia, na Área de Comunicação e Negócios (ACN), pelo telefone (69) 222-0014 / ramal 6530 ou por e-mail .

Integrantes do projeto

O projeto `Búfalos Selvagens da Rebio do Guaporé (RO)`, de autoria dos pesquisadores da Embrapa Rondônia Ricardo Gomes de Araújo Pereira, João Paulo Guimarães Soares, Angelo Mansur Mendes, Cláudio Ramalho Towsend, Newton de Lucena Costa e Francisco das Chagas Leônidas e pesquisadores do Ibama, tem como consultores engenheiros agrônomos do Ministério do Meio Ambiente e profissionais especializados no manejo de búfalos.

Órgãos como a Sedam - Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental, Idaron - Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril de Rondônia, ONGs e associações comunitárias também oferecem assessoria ao diagnóstico.

Fonte: Embrapa Rondônia

  
  

Publicado por em

Marlos rodrigues da silva

Marlos rodrigues da silva

26/10/2008 23:38:32
acho que devia deixar os animais em paz
pois se tornarão uma nova raça unica no mundo