Embrapa Roraima demonstrou o efeito de fertilizantes na produção de soja

Os efeitos de fertilizantes como fósforo, nitrogênio e enxofre, no desempenho das variedades de soja Tracajá e Sambaíba, em áreas de cerrados, foram demonstrados no dia de campo que a Embrapa Roraima promoveu na sexta-feira, 22, no campo experimental Água

  
  

Os efeitos de fertilizantes como fósforo, nitrogênio e enxofre, no desempenho das variedades de soja Tracajá e Sambaíba, em áreas de cerrados, foram demonstrados no dia de campo que a Embrapa Roraima promoveu na sexta-feira, 22, no campo experimental Água Boa, a 25 quilômetros do centro de Boa Vista, a partir das 8 horas.

Foram demonstrados os efeitos da correção de solo e adubação no desempenho da soja em latossolo amarelo de textura média, em primeiro, segundo e terceiro cultivos.

O desempenho de linhagens de soja de ciclos precoce, como Mirador, Sambaíba e Boa Vista; semiprecoce e médio; em solo aberto recentemente, foi outro ponto de destaque do evento.

Os pesquisadores Daniel Gianluppi, Oscar José Smiderle e Vicente Gianluppi, coordenadores do dia de campo, demonstraram também a viabilidade de se produzir girassol em solos em primeiro ano de cultivo, com ênfase nas épocas de plantio e adubação nitrogenada em áreas de cerrado.

Circuito Nacional :

Com uma área de aproximadamente 7 mil hectares plantados com soja, o estado de Roraima rompe a primeira barreira e entra definitivamente no circuito nacional da produção de grãos.

Os 15 produtores concentrados nos municípios de Alto Alegre, Bonfim, Boa Vista e Cantá, esperam para este ano uma safra de 15,3 mil toneladas de soja, que começa a ser colhida no final de setembro. Toda a produção será exportada para o Amazonas e a Venezuela, a um preço médio de 12 dólares a saca de 60 quilos.

De 2000 para 2003, a evolução da área plantada, produção e produtividade de soja no estado de Roraima vêm crescendo num ritmo de 100 por cento ao ano, números que dão otimismo aos produtores.

Mais informações com os pesquisadores Oscar José Smiderle, Daniel Gianluppi e Vicente Gianluppi pelo telefone (95) 626-7125, ramais 221 e 224.

Fonte: Embrapa Roraima

  
  

Publicado por em