Audiência pública irá discutir o aquecimento global

O aquecimento global representa a maior crise socioambiental da história da humanidade

  
  

Itaipu vai sediar, hoje, sexta-feira (4/11), no Centro de Treinamento, uma audiência pública da Comissão Mista Permanente sobre Mudanças Climáticas(CMMC), do Congresso Nacional.

O encontro, o nono do ano e o primeiro fora de Brasília, será aberto às 8h30, no Auditório Integração, pelo diretor-geral brasileiro, Jorge Samek, e pelo presidente da comissão, o senador paranaense Sérgio Souza (PMDB).

De acordo com Sérgio Souza, a experiência de Itaipu na geração de energia limpa e renovável, e as ações na área de meio ambiente, motivaram a escolha da usina para sediar o encontro. Também compõem a mesa diretiva da CMMC os deputados federais Alfredo Sirkis (PV-RJ) e Márcio Macedo (PT-SE), vice-presidente e relator, respectivamente.

“Estamos realizando várias audiências públicas para discutir o aquecimento global. Em Itaipu, vamos debater a influência das mudanças climáticas na geração de energia elétrica, hidrelétrica ou hidráulica e conhecer programas desenvolvidos na área”, explicou Sérgio Souza.

Programação:

Logo após a abertura, será formada a mesa “Energia e mudanças climáticas”, com Maurício Tolmasquim, presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), e Luiz Pinguelli Rosa, diretor-geral do Instituto Alberto Luiz de Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe-UFRJ).

No período da tarde, a partir das 13h, está prevista uma caminhada pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI). A retomada dos trabalhos da comissão será às 14h, com a mesa “Agricultura e mudanças climáticas”, com o chefe-geral da Embrapa Meio Ambiente, Celso Manzatto.

Em seguida, serão apresentados dois cases de Itaipu: um do Programa Cultivando Água Boa, com o diretor de Coordenação e Meio Ambiente, Nelton Friedrich; e outro da Plataforma Itaipu de Energias Renováveis, com o superintendente da Assessoria De Energias Renováveis, Cicero Bley Júnior.

Bacia do Paraná 3:

Nelton Friedrich comenta que a discussão é oportuna porque, para ele, o aquecimento global representa a maior crise socioambiental da história da humanidade.

“Ao mesmo tempo, permite que membros dessa comissão do
Congresso Nacional, deputados e senadores, conheçam as ações que são desenvolvidas por Itaipu na Bacia do Paraná 3”, acrescenta.

O diretor de Coordenação destaca ainda que o Brasil vive uma situação privilegiada - 48% da produção de energia do País é proveniente de fontes renováveis, ante 12% da média mundial. Se considerar apenas a energia elétrica, as fontes renováveis representam 88% da produção brasileira.

“Isso mostra o quanto o Brasil precisa continuar na matriz de energias renováveis e quanto temos que valorizar nossas ações. Porque o que levou à enfermidade do planeta é justamente o uso de energias fósseis,
contaminantes”, defende.

Histórico:

A CMMC foi criada em 2008 e instalada em 17 de março de 2009. Entre os objetivos da comissão, estão o monitoramento e a fiscalização de ações para amenizar os impactos do aquecimento global. As estratégias incluem a votação de projetos que criam o Fundo Nacional de Mudança do Clima; o estabelecimento de um marco regulatório sobre a inspeção veicular; a diminuição da participação de combustíveis fósseis no Plano Nacional de
Expansão do Setor Elétrico; e a discussão de estratégias de mitigação da emissão de gases de efeito estufa no setor doméstico.

Visite: www.revistaecotour.com.br

Fonte: Itaipu

  
  

Publicado por em