Conferência de jovens gera perspectivas de mobilização internacional pela defesa do meio ambiente

A 3ª Conferência Nacional Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente fortaleceu a luta pela preservação ambiental em escala global.

  
  
Brasília - Encerramento da 3ª Conferência Nacional Infanto-Juvenil, no Teatro Nacional

A 3ª Conferência Nacional Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente fortaleceu a luta pela preservação ambiental em escala global. O encerramento do evento, realizado hoje (7) em Brasília, reuniu cerca de 700 crianças e adolescentes de todo o país e motivou a criação de uma conferência internacional que deve ocorrer em junho de 2010.

De acordo com o o Ministro da Educação, Fernando Haddad, que esteve presente ao encerramento da conferência, o evento foi um diferencial e por isso mais de 40 países atuaram como observadores.

“Nós temos uma perspectiva de mobilizar a comunidade internacional promovendo a mobilização desse aspecto tão relevante da vida moderna que é o meio ambiente”, disse.

Para Haddad, a educação ambiental deve começar cedopara gerar uma cultura de preservação ambiental na sociedade. “Depois é mais difícil corrigir para a pessoa já formada, sem essa noção da importância da sustentabilidade ecológica para a vida da humanidade”, afirmou.

Durante a conferência, os jovens entregaram a Carta de Responsabilidades para o Enfrentamento das Mudanças Ambientais Globais a representantes do governo. O documento não apresenta reivindicações, mas um conjunto de responsabilidades formuladas pelos jovens que participaram da conferência.

Para a coordenadora geral do evento, Rachel Trajbel, as autoridades devem assumir a sua co-responsabilidade das ações de preservação ecológica. “O que nos cerca não são direitos nem deveres, mas responsabilidades pela sustentabilidade da vida no planeta”, disse.

O Ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, também participou da conferência e afirmou que instituições como o Ibama e o Instituto Chico Mendes sozinhos não são suficientes para defender o meio ambiente, é necessário que as pessoas também colaborem. “A educação ambiental é mudança de comportamento”, afirmou.

Para Elci Carvalho, coordenadora da delegação do estado do Amapá, a conferência mostrou que os jovens estão cheios de vontade de cuidar do planeta. “Essa experiência para os nosso alunos, que são o foco do processo, é maravilhosa”, disse.

As crianças e adolescentes aproveitaram bem os cinco dias de debates e oficinas. De acordo com Mariana dos Santos, 14 anos, que representa o estado do Amazonas, o encontro foi uma oportunidade única. “Principalmente para nós jovens que queremos realmente cuidar do Brasil, do nosso meio ambiente e do planeta”, disse.

Para o representante do estado de Minas Gerais, Henrique Batista, 14 anos, a conferência foi um aprendizado e que vai repassar para os colegas tudo que aprendeu. “Nós estamos nos comprometendo a realizar ações. Isso é muito importante, porque a gente pode incentivar outras pessoas a terem esse compromisso com o meio ambiente”, afirmou.

Fonte: Agência Brasil
Esta notícia está licenciada sob Licença Creative Commons Atribuição 2.5

  
  

Publicado por em

Ana Carolina Lucena

Ana Carolina Lucena

29/10/2009 23:32:21
Gostei muito da reportagem. Fui delegada do Estado de Roraima e realmente aquela semana foi muito marcante para todos que estavam presentes. Eu aprendi muito com a Conferencia e isso eu vou levar por toda a vida e repassar para todos.

Maria A. de Oliveira

Maria A. de Oliveira

10/04/2009 15:26:46
Parabens pela iniciativa! Acredito na transformação do mundo através da crianças e jovens. É preciso pensar em projetos desde a pré escola. É difícil mudar hábitos de adultos...E, essa transformação é urgente... grato