Dia mundial das áreas úmidas é comemorado em 2 de fevereiro

Campanha do Dia Mundial das Áreas Úmidas destaca o papel desses ecossistemas no combate aos efeitos das mudanças climáticas e na manutenção da biodiversidade.

  
  

As áreas úmidas – nome dado ao conjunto de lagos, lagoas, pântanos e outros tipos de áreas alagáveis, como o Pantanal – desempenham um papel fundamental para o equilíbrio ecológico, fornecendo serviços ambientais que podem ajudar a combater os efeitos das mudanças climáticas e reduzir a perda da biodiversidade.

Esta é a mensagem do Dia Internacional das Áreas Úmidas, comemorado dia 2 de Fevereiro em todo o mundo e que neste ano traz como tema central Cuidar das áreas úmidas – uma resposta às mudanças climáticas. O slogan reforça a importância de conservar essas áreas, alertando para o fato de que elas podem ser parte da solução para os problemas das mudanças climáticas.

A Organização das Nações Unidas declarou 2010 o Ano Internacional da Biodiversidade. Entre as causas apontadas para a perda da biodiversidade estão as mudanças climáticas. Por isso, o tema do Dia Internacional das Áreas Úmidas está olhando para esses dois aspectos - mudanças climáticas e perda da biodiversidade – e o que isso significa para as pessoas que vivem nessas áreas.

A definição do conceito de Áreas Úmidas surgiu na Convenção de Ramsar. O tratado intergovernamental celebrado no Irã, em 1971, marcou o início das ações nacionais e internacionais para a conservação e o uso sustentável das zonas úmidas e de seus recursos naturais. Atualmente, 150 países são signatários do tratado, incluindo o Brasil.

Berço de uma rica biodiversidade, as áreas úmidas são também muito vulneráveis às mudanças climáticas. Por outro lado, se bem manejadas com a manutenção da sua biodiversidade podem desempenhar um papel importante nas ações de mitigação e adaptação diante dos efeitos das mudanças climáticas, principalmente com o fornecimento de água e a produção de alimentos.

As áreas úmidas são ecossistemas complexos e variados que vão desde as áreas marinhas e costeiras até as continentais e as artificiais. Alguns exemplos são os lagos, manguezais, pântanos e também áreas irrigadas para agricultura, reservatórios de hidrelétricas, entre outros, sendo que o maior deles é o Pantanal.

Manutenção da biodiversidade

As áreas úmidas existem em todos os tipos de ecossistemas e são importantes para a manutenção da biodiversidade. Situadas em uma área de transição entre os ecossistemas aquáticos e terrestres, sofrem muita pressão não somente pela ação direta do homem, mas também pelos impactos sobre ecossistemas terrestres, marinhos e de água doce adjacentes.

Pelo fato de terem um ciclo hidrológico que se modifica o tempo todo e que exige adaptação constante, as áreas úmidas abrigam uma enorme variedade de espécies endêmicas. Outro serviço importante prestado por essas áreas é a regulação do ciclo hidrológico, ampliando a capacidade de retenção de água da região onde se localiza e, com isso, promovendo o múltiplo uso das águas pelos seres humanos.

Pantanal é a maior área úmida do planeta

O Pantanal é a maior área úmida continental do planeta e o berço de uma rica biodiversidade. Ele ocupa parte dos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, estendendo-se pela Bolívia e Paraguai. Na região, foram registrados pelo menos 4.700 espécies, incluindo plantas e vertebrados. Desse total, há 3.500 espécies de plantas (árvores e vegetações aquáticas e terrestres), 325 peixes, 53 anfíbios, 98 répteis, 656 aves e 159 mamíferos.

A importância ambiental da maior área úmida continental teve o seu reconhecimento a partir de 1998, quando o bioma foi decretado Patrimônio Nacional, pela Constituição brasileira. Em 2000, o Pantanal recebeu o título de Reserva da Biosfera pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Atuação do WWF-Brasil

Desde 1998, o WWF-Brasil vêm atuando com projetos de conservação no Pantanal, em parceria com o WWF-Bolívia e em articulação com parceiros locais. A escolha do bioma como uma de suas áreas prioritárias de atuação da ONG deve-se ao reconhecimento da importância do Pantanal para a conservação da biodiversidade.

O trabalho envolve o estímulo a ações de conservação da biodiversidade por meio da criação e implementação de unidades de conservação, preservação de espécies, educação para sociedades sustentáveis, incentivo a atividades econômicas de baixo impacto ambiental e de apoio ao desenvolvimento sustentável.

Sítios de Ramsar no Brasil

Além do Parque Nacional do Pantanal Matogrossense (MT), o Brasil possui outras 7 áreas classificadas como Sítios Ramsar: Estação Ecológica Mamirauá (AM), Ilha do Bananal (TO), Reentrâncias Maranhenses (MA), Área de Proteção Ambiental da Baixada Maranhense (MA), Parque Estadual Marinho do Parcel de Manoel Luz (MA), Lagoa do Peixe (RS) e a Reserva Particular do Patrimônio Natural SESC Pantanal (MT).

Fonte: WWF

  
  

Publicado por em