Iniciativas paulistas de conservação e uso racional da água recebem o Prêmio ANA

O Instituto Socioambiental e a USP fazem de São Paulo o primeiro estado a ganhar dois troféus numa mesma edição da premiação

  
  

O “Oscar da Água”. Assim foi batizado o Prêmio ANA 2008, entregue na noite da quinta-feira, 04/12, no auditório da Caixa Cultural de Brasília, em cerimônia na qual foram anunciados os vencedores de cada uma das seis categorias: Governo, Empresas, Organismos de bacia, Academia, Organizações não-governamentais e Imprensa. A Agência Nacional de Águas (ANA) oferece Prêmio para de reconhecer iniciativas que contribuam para a gestão e o uso sustentável das águas brasileiras.

Na categoria ONGs, o projeto vencedor foi o “De Olho nos Mananciais”, realizado pelo Instituto Socioambiental (ISA) na Região Metropolitana de São Paulo. A ameaça de escassez de água na região fez com o ISA desenvolvesse este trabalho de conscientização e educação ambiental, visando a promover uma agenda positiva e de responsabilidade socioambiental compartilhada para reverter a degradação dos mananciais que abastecem a Grande São Paulo.

A Universidade de São Paulo venceu na categoria Academia com o estudo “Construção de uma linhagem bacteriana apta para biorremediação de efluentes contaminados por metais pesados”. Com este trabalho de melhoramento genético, a bactéria Cupriavidus metallidurans CH34 pode otimizar sua capacidade de remediação de resíduos contaminados por metais pesados.

Dos 272 trabalhos inscritos no Prêmio ANA 2008, a Comissão Julgadora, composta de pessoas com notório saber em recursos hídricos, selecionou 18 iniciativas finalistas, sendo três em cada categoria. Cinco foram os critérios de avaliação utilizados: efetividade; impactos social, cultural e ambiental; potencial de difusão/replicação; adesão e participação social; e originalidade.

Assim como em 2006, quando Paraíba, Pernambuco e Santa Catarina saíram vencedores, a pluralidade dos estados ganhadores se manteve. Iniciativas do Rio Grande do Norte, Goiás, Paraná, Ceará e São Paulo (2) ganharam o Troféu Prêmio ANA. Há desde ações de divulgação de informações sobre a importância da conservação e do uso racional da água até a formação de jovens como multiplicadores de boas práticas ambientais.

Em discurso para um auditório com cerca de 400 pessoas, o diretor-presidente da ANA, José Machado, enfatizou a importância do Prêmio ANA para a gestão da água no país. “O Prêmio ANA é um elo de um momento muito auspicioso que o país está vivendo na implementação da Política Nacional de Recursos Hídricos”, afirma.

Premiação:

Em reconhecimento ao mérito de todos os trabalhos finalistas, a ANA ofereceu uma bailarina em alumínio reciclado e conchas, feita por famílias de artesãos do litoral capixaba. Já os seis vencedores receberam o Troféu Prêmio ANA, inspirado na logomarca da Agência. A peça, de autoria do mestre-vidreiro italiano Mário Seguso, tem aspecto de pedra bruta lapidada e detalhes que lembram as ondas do mar.

Prêmio ANA 2006:

Ao término da cerimônia de premiação, foi lançado o livro sobre o Prêmio ANA 2006, o qual contém informações sobre as melhores iniciativas da primeira edição da premiação e sobre os recursos hídricos brasileiros. Ao final da publicação há, inclusive, um glossário de termos relacionados à água.

Parceiros:

O Prêmio ANA contou com o patrocínio da Caixa Econômica Federal, o apoio do Banco do Brasil, além da parceria do Ministério do Meio Ambiente e da Associação Brasileira de Recursos Hídricos (Abas).

Fonte: Agência Nacional de Águas

  
  

Publicado por em