Produtos revelam talentos e histórias do Brasil

Conhecer 15 destinos turísticos do Brasil, reconhecer suas matérias-primas legítimas e entender técnicas artesanais sustentáveis que criam produtos genuinamente regionais. Essa é a proposta da nova coleção de cartões-postais Talentos do Brasil

  
  
Coleção de postais levam a etiqueta

Conhecer 15 destinos turísticos do Brasil, reconhecer suas matérias-primas legítimas e entender técnicas artesanais sustentáveis que criam produtos genuinamente regionais. Essa é a proposta da nova coleção de cartões-postais do projeto Talentos do Brasil, iniciativa realizada em parceria entre os ministérios do Turismo (MTur) e do Desenvolvimento Agrário (MDA), Agência de Cooperação Alemã (GIZ), Apex-Brasil e Sebrae.

Visitantes da Rio+20 que fizeram compras até o final da tarde desta sexta-feira (22) na Praça da Sociobiodiversidade, no Aterro do Flamengo, ganharam os postais gratuitamente.

A coleção, que leva a etiqueta “Eu amo o Brasil”, divulga também um novo produto no catálogo do projeto: o primeiro chinelo brasileiro confeccionado com borracha da floresta amazônica.

De acordo com Patrícia Mendes, coordenadora do projeto Talentos do Brasil no MDA, o estande já faturou mais de R$ 40 mil em apenas cinco dias de evento. Os produtos mais procurados são roupas, peças da coleção moda praia, bolsas e acessórios femininos, utensílios domésticos e decorativos para cozinha. Os produtos vêm de 18 cooperativas de 12 estados brasileiros, formadas por duas mil mulheres que descobriram no trabalho manual uma vocação criativa e uma alternativa para geração de renda.

Para Ana Glória Santos, presidenta da Cooperunica – cooperativa que reúne as artesãs do projeto –, a produção artesanal associada ao turismo favorece a aproximação dos visitantes a produtos legitimamente brasileiros. “Os produtos contam histórias das regiões turísticas do Brasil, e sua matéria-prima carrega um pouco da experiência do visitante naquele lugar”, define. Segundo ela, quem visitar o último dia do quiosque do projeto na Rio+20 encontrará produtos que variam de R$ 4 a R$ 300.

Pela loja virtual do projeto, é possível conhecer o portfólio completo dos produtos de moda artesanal, desenvolvidos pelo reaproveitamento de insumos já descartados da natureza. Além de valorizar a identidade turístico-cultural das regiões de origem, os produtos são a expressão da economia solidária e da agricultura familiar no Brasil.

Segundo Hetel Santos, coordenadora da Praça de Biodiversidade da Arena Socioambiental da Rio+20, o espaço é uma estratégia de promoção comercial, cultural e turística de quatro biomas brasileiros: caatinga, cerrado, Amazônia e mata atlântica. “É um espaço que integra produtos da gastronomia brasileira com produtos feitos à mão e que são típicos dessas regiões: geléias, castanhas exóticas, doce de leite de cabra, renda renascença, lã de carneiro, fitas coloridas, bordados, algodão orgânico, pequi, baru, sucos, azeites, capim dourado, fibra de tururi, sementes, látex, erva-mate, pinhão, juçara, cosméticos, entre outros”, exemplifica.

A Cúpula dos Povos, no Aterro do Flamengo, integrou a programação paralela da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20).

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em