São Paulo sediará o 1º Congresso Brasileiro de Avaliação de Impacto

O Governo Federal anunciou projetos de expansão para os modais ferroviário e rodoviário e deve formalizar outros com foco nos portos e aeroportos

  
  

O Brasil experimenta uma fase de volumosos investimentos estruturais direcionados a diversos setores da economia. Recentemente, o Governo Federal anunciou projetos de expansão para os modais ferroviário e rodoviário e deve formalizar outros com foco nos portos e aeroportos.

Simultaneamente, o setor de energia ganha ênfase, especialmente com o megaprojeto de Belo Monte e do complexo de hidrelétrica pretendido para o rio Tapajós. Projetos assim chamam a atenção para a necessidade de avaliar os impactos causados por obras estruturais e de grande porte.

"Quanto maior a complexidade do projeto, mais criteriosa deve ser a avaliação dos possíveis impactos", diz o dirigente da Associação Brasileira de Avaliação de Impacto e professor Doutor em Planejamento e Gestão Ambiental - EACH/USP, Evandro Mateus Moretto.

Renan Poli, diretor da HPT Soluções Ambientais e Resfriamento de Água e integrante da comissão organizadora do congresso, complementa: "Só teremos condições de aperfeiçoar esta cultura de planejamento na medida em que superemos a interpretação maniqueísta sobre as posturas dos diversos agentes da avaliação de impacto.

Essa é uma das premissas do evento e da associação: promover espaços de diálogos e de convergências entre os diversos agentes que compõem esta plataforma multiagente de tomada de decisão".

O congresso abre com a palestra sobre planejamento territorial, desenvolvimento e impactos ambientais, ministrada por Maria do Rosário Partidário, do Instituto Superior Técnico (Portugal), uma das precursoras da modalidade de avaliação de impacto ambiental estratégica, vinculada à concepção de políticas, planos e programas.

Em uma das mesas-redondas programas, o tema desenvolvimento, infraestrutura e meio ambiente será discutido por Evandro Mateus Moretto (da Universidade de São Paulo), por Volney Zanardi Junior (presidente do IBAMA), por Giancarlo Gerli (diretor de Planejamento da ABDIB - Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base) e por Rubens Harry Born (da Vitae Civilis).

Um painel foi especialmente desenvolvido para analisar os "Princípios do Equador", critérios que condicionam a avaliação de riscos ambientais para a concessão de crédito, que asseguram que os projetos financiados sejam desenvolvidos de forma socialmente e ambientalmente responsável e para identificar como as instituições financeiras estão se adaptando às exigências das agências internacionais.

Participam Luis Enrique Sánchez (Presidente da International Association for Impact Assessment), Eric Shayer (especialista Ambiental Sênior, da International Finance Corporation, do World Bank Group), Joseph Milewiski (especialista líder em Recursos Naturais, do Banco Interamericano de Desenvolvimento), Valéria R. Gomes de Andrade (analista sênior de Risco Socioambiental do Banco Itaú BBA) e Roberta Simonetti (do Centro de Estudos em Sustentabilidade, da Fundação Getúlio Vargas).

Serviço:

1º Congresso Brasileiro de Avaliação de Impacto Idealização e Organização: ABAI

Data Cursos Técnicos: 15 e 16 de outubro de 2012

Data Congresso: 17 a 19 de outubro de 2012

Horários: 08:30 às 17:30

Local: Centro de Convenções Rebouças

Avenida Rebouças, 600 - São Paulo/SP

Visite: www.revistaecotour.com.br

Fonte: Alessandro Padin

  
  

Publicado por em