XXV Prêmio Jovem Cientista enfocará o tema Cidades Sustentáveis

Considerado pela comunidade científica como uma das mais importantes premiações do gênero na América Latina.

  
  

Filtros elétricos sintonizáveis, cinzas de carvão, embriões de ostras, células-tronco, bananas, sucata eletrônica, borboletas, algas e cascas de camarão. A diversidade dos materiais usados por vencedores do Prêmio Jovem Cientista, em suas 24 edições, mostra os desafios que os pesquisadores enfrentaram para transformar cada um deles em soluções para problemas encontrados no dia a dia.

Nos laboratórios e centros de pesquisa de todas as regiões brasileiras, eles fizeram descobertas e inovaram em áreas tão fundamentais para a sociedade, como telecomunicações, saúde, energia, agricultura, educação e meio ambiente.

Uma história que se confunde com a produção científica brasileira das últimas décadas, e que, assim como o Prêmio, sempre se renova, ao dar oportunidades para mais estudantes e pesquisadores.

Ao completar 25 edições, e 30 anos de existência, o Prêmio Jovem Cientista lançado na quarta-feira, dia 27 de abril, às 18h, no Teatro Nacional, em Brasília, terá como tema da edição desse ano: Cidades Sustentáveis.

O lançamento aconteceu no evento de comemoração dos 60 anos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), idealizador do Prêmio, quando será assinado acordo de cooperação entre os parceiros da iniciativa.

Criado em 1951, o CNPq é uma agência do Ministério da Ciência e Tecnologia, destinada ao fomento da pesquisa científica e tecnológica e à formação dos recursos humanos para a pesquisa no Brasil.

Assinaram o acordo de cooperação da XXV edição do Prêmio o presidente do CNPq, Glaucius Oliva, a vice-presidente do Instituto Gerdau, Beatriz Gerdau Johannpeter, o presidente da GE Corporate – Brasil, João Geraldo Ferreiro, e o superintende executivo da Fundação Roberto Marinho, Nelson Savioli.

Linhas de pesquisa do XXV Prêmio Jovem Cientista

Nesta edição, os estudantes de ensino médio podem pesquisar uma das seguintes diretrizes: Ambientes sustentáveis: casa, escola, trabalho, espaços públicos; Planejamento urbano e qualidade de vida; Gestão das águas no meio urbano; Políticas de mobilidade nas cidades; Agricultura urbana; Gestão de resíduos: orgânicos, inorgânicos e perigosos; e Impactos das mudanças climáticas nas cidades.

Já os pesquisadores e estudantes de nível superior poderão inscrever trabalhos relacionados a uma das seguintes linhas de pesquisa:

-Vulnerabilidade, risco e mudanças climáticas nas cidades;

- Urbanização, ambiente e gestão das águas urbanas;

- Produção do espaço urbano e apropriação da natureza relacionada com a questão do solo / água / ventos e dos recursos energéticos;

- Políticas urbana, ambiental e de saúde relacionadas com a questão do lixo;

- Planejamento urbano, gestão e conflitos ambientais;

- Políticas de transporte e de mobilidade nas cidades;

- Agricultura urbana e cidade sustentável;

- Implicações socioambientais da legislação urbana;

- Paisagem urbana e arquitetura sustentável;

- Cidades em fronteiras transnacionais e gestão ambiental.

O Prêmio

O Prêmio Jovem Cientista é uma iniciativa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em parceria com a Fundação Roberto Marinho, a Gerdau e a General Electric do Brasil (GE). Quatro categorias são premiadas: Graduado, Estudante do Ensino Superior, Estudante do Ensino Médio, e Mérito Institucional.

Há ainda uma Menção Honrosa para um pesquisador com título de doutor que tenha se destacado por sua trajetória na área relacionada ao tema do prêmio. Os orientadores das três categorias e as escolas dos três classificados do Ensino Médio são agraciados com laptops, como forma de estimular e reconhecer a cadeia de aprendizagem.

Na categoria Mérito Institucional serão premiadas duas instituições – uma de ensino médio e outra de ensino superior – às quais estiverem vinculados o maior número de trabalhos com mérito científico, desenvolvidos por candidatos inscritos nas categorias Graduado, Estudante do Ensino Superior e Estudante do Ensino Médio.

Inscrições:

Poderão ser feitas do dia 2 de maio ao dia 31 de agosto pela internet ou pelos Correios.

O regulamento completo do prêmio e a ficha de inscrição estão disponíveis em www.jovemcientista.cnpq.br.

Premiação:

Na categoria Graduado, os vencedores são agraciados com R$30 mil (1º lugar); R$20 mil (2º lugar) e R$15 mil (3º lugar). Para Estudantes do Ensino Superior, os valores são de R$15 mil para o 1º lugar, R$12 mil para o 2º lugar e R$10 mil para o 3º lugar. Estudantes do Ensino Médio classificados em 1º, 2º e 3º lugares recebem um Laptop de última geração cada um.

No Mérito Institucional, serão pagos R$35 mil para cada uma das duas instituições – uma de Ensino Médio e uma de Ensino Superior -que tiverem o maior número de trabalhos com mérito científico inscritos. O pesquisador que for indicado para a Menção Honrosa ganhará R$20 mil.

Além da premiação relacionada, todos os premiados recebem bolsas de estudo do CNPq, caso atendam aos critérios normativos do órgão, descritos no site www.cnpq.br/bolsas.

Os pesquisadores classificados em primeiro lugar em cada uma das categorias (Graduado, estudante do Ensino Superior e Estudante do Ensino Médio), também participarão de Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em 2012.

Histórico:

O Prêmio Jovem Cientista foi criado em 1981 com o objetivo de incentivar a pesquisa no Brasil e é considerado pela comunidade científica uma das mais importantes premiações do gênero na América Latina. A entrega da premiação é feita pelo presidente da República em exercício e reúne na cerimônia autoridades governamentais da área da ciência e tecnologia, além dos mais respeitados nomes da ciência brasileira.

Os temas escolhidos são sempre de interesse direto da população e buscam soluções simples e acessíveis para problemas encontrados em seu cotidiano.

Entre os assuntos abordados em anos anteriores estão “Saúde da população e controle de endemias", "Oceanos: fonte de alimentos", “Saúde da População – controle da infecção hospitalar” e “Educação para reduzir as desigualdades sociais”.

No ano passado, com o tema “Energia e Meio Ambiente – soluções para o futuro”, o prêmio recebeu 2.158 inscrições de todo o país, sendo 158 na categoria Graduado; 75 na categoria Estudante do Ensino Superior e 1.925 na categoria Estudante do Ensino Médio.

Fonte: Amanda Nunes

Visite: www.revistaecotour.com.br

  
  

Publicado por em