Entrega do Prêmio von Martius reuniu autoridades e pesquisadores em meio ambiente

Criatividade, efeito multiplicador, envolvimento comunitário e auto-sustentabilidade são alguns dos fatores em comum entre os dez projetos vencedores do Prêmio von Martius de Sustentabilidade 2007, entregue na manhã do dia 9 de

  
  

Criatividade, efeito multiplicador, envolvimento comunitário e auto-sustentabilidade são alguns dos fatores em comum entre os dez projetos vencedores do Prêmio von Martius de Sustentabilidade 2007, entregue na manhã do dia 9 de novembro no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM), em cerimônia promovida pela Câmara Brasil-Alemanha.

Na abertura do evento, o diretor de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Câmara Brasil-Alemanha, Ricardo Rose, recebeu da empresa BRTÜV o certificado de neutralização de carbono, confirmando o caráter carbonfree de todo o evento, desde o início das inscrições.

Outro ponto alto da cerimônia foi a participação do Dr. George John Shepherd, professor da Universidade Estadual de Campinhas (Unicamp), que apresentou o Flora Brasilienses Online, iniciativa que digitalizou cerca de quatro mil ilustrações de autoria do naturalista Karl Friedrich Phillip von Martius, botânico e maior pesquisador da flora brasileira.

Após a premiação, encerrando o evento, em nome do governo do estado, o Secretário de Ambiente do Estado do Rio de Janeiro, Carlos Minc, passou sua mensagem, parabenizando a Câmara Brasil-Alemanha pela iniciativa e a todos os projetos participantes.

“A sustentabilidade presupõe pesquisa e inovação. Agora, as empresas e a sociedade em geral estão despertando para a necessidade de investimento na área”, ressalta o secretário.

Projetos vencedores:

Dos 132 inscritos na oitava edição do prêmio, 10 foram contemplados com o prêmio. Na categoria Humanidade, o primeiro lugar ficou com o projeto Globo Ecologia – Série Aquecimento Global, uma iniciativa da Fundação Roberto Marinho e do Canal Futura. O segundo e o terceiro lugares foram para o Programa Trainee em Meio Ambiente (Fundação O Boticário de Proteção à Natureza) e para o projeto Convivência com a Realidade Semi-árida (Centro de Educação Popular e Formação Sindical), respectivamente.

A iniciativa Implantação e manejo de florestas em pequenas propriedades no Estado do Paraná, do Projeto Paraná Biodiversidade, foi a vencedora na categoria Natureza, seguida do projeto Cultivar (Cocamar Cooperativa Agroindustrial e Instituto Ambiental do Paraná), que ficou com a segunda colocação, dos projetos Estudo da Biodiversidade (Copebrás) e Gestão Ambiental através de Consórcio Intermunicipal Ribeirão Lajeado (Consórcio Intermunicipal Ribeirão Lajeado), empatados em terceiro lugar.

Já na categoria Tecnologia, o grande vencedor foi a Fazenda Ecológica, com o projeto Pastagem ecológica - Sistema Voisin Silvipastoril. O segundo lugar foi para a Tecnologia de Quebra do Coco Babaçu (Instituto de Tecnologia de Alimentos) e a terceira colocação para o Embueiramento de esgoto a céu aberto com o aproveitamento de pneus descartados (Colégio Presidente Emílio Garrastazu Médici – Fundação Bradesco).

Nesta edição, o Prêmio teve como patrocinadores Faber-Castell, Henkel, Petrobras, Tetra Pak e Volkswagen Caminhões e Ônibus, além do apoio do Ministério do Meio Ambiente do Brasil, Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, InWEnt, World Wide Fund For Nature (WWF-Brasil), Suzano Papel e Celulose, Gráfica Bandeirantes, Senator Turismo e Lufthansa City Center.

Categoria Humanidade

Participante: Globo Ecologia

Nome do Projeto: Globo Ecologia - Série Aquecimento Global

Local: Rio de Janeiro-RJ

Criado em 1990, com o objetivo de levar informação sobre ciência e meio ambiente ao grande público, o Programa Globo Ecologia surgiu a partir de uma parceria institucional entre a Fundação Roberto Marinho e a Rede Globo de Televisão, antecipando-se à realização da ECO-92, quando os meios de comunicação ainda pouco dedicavam-se à divulgação do tema. Em 2007, 17 anos depois, com 875 programas de 22 minutos exibidos, sendo 650 ainda inéditos, o programa é transmitido para milhões de brasileiros pelos canais Rede Globo, TVE – Brasil, Canal Futura e Globo News e para as América do Norte e Europa por meio da Globo Internacional.

Participante: Fundação O Boticário de Proteção à Natureza

Nome do Projeto: Programa Trainee em Meio Ambiente

Local: Curitiba-PR

Com foco na formação de profissionais para atuação na área de meio ambiente de forma estratégica, o programa Trainee em Meio Ambiente da Fundação O Boticário de Proteção à Natureza visa selecionar jovens colaboradores ou recém-contratados. Durante um ano, os trainees passam por cursos de capacitação junto aos seus tutores e membros da organização onde trabalham para a criação de um projeto institucional. Aulas sobre conservação da natureza, desenvolvimento pessoal e organizacional são os destaques do treinamento. Após um ano de existência, o programa formou 20 profissionais responsáveis pela elaboração de 20 projetos para suas organizações.

Participante: Centro de Educação Popular e Formação Sindical (CEPFS)

Nome do Projeto: Convivência com a Realidade Semi-Árida

Local: Teixeira-PB

A região rural de clima semi-árido dos municípios de Teixeira e Cacimbas, no médio sertão da Paraíba, conta com um projeto para o desenvolvimento local sustentável. Partindo do princípio de que o produtor rural é um ator social importante, o programa contempla diversas tecnologias associadas a atividades educativas, por meio do resgate de práticas solidárias, para a melhoria da qualidade de vida das comunidades envolvidas.

A dinâmica propõe que os agricultores exercitem a gestão de recursos por meio dos Fundos Rotativos Solidários (FRS) - poupança comunitária formada com apoio financeiro ou com contribuições de famílias que desejam se organizar na comunidade.

Com esses créditos, os quais são devolvidos para os fundos posteriormente, as famílias conseguem desenvolver tecnologias de convivência com o semi-árido, de acordo com suas necessidades, como a construção de cisternas, de barragens subterrâneas, de cercas, da implantação de programas de reflorestamento ou da compra de animais.

Categoria Natureza

Participante: Projeto Paraná Biodiversidade – Secretaria do Planejamento e

Coordenação Geral do Paraná

Nome do Projeto: Implantação e Manejo de Florestas em Pequenas Propriedades no Estado do Paraná

Local: Curitiba-PR

Coordenado pela Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná, com apoio da Embrapa Florestas, da Emater e do Instituto Ambiental do Paraná, este projeto beneficia 187 pequenos produtores familiares da região Noroeste do Paraná com propriedades menores que 30 hectares, com o financiamento de 50% do investimento total necessário para a implantação de florestas de até 5 hectares em suas propriedades.

O diferencial é o plantio de eucalipto e de espécies nativas regionais para geração de renda imediata e sua permanência no ecossistema pelo processo conhecido como sucessão florestal. Foram reflorestados 379 hectares, em sua maioria pastagens degradadas. Para o programa de Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), integrante do Projeto Paraná Biodiversidade, o seqüestro de carbono por meio dos eucaliptos deverá somar cerca de 102.094 toneladas em 20 anos.

Participante: Cooperativa Agroindustrial (Cocamar)

Nome do Projeto: Projeto Cultivar

Local: Maringá-PR

Com o slogan “Produzindo florestas com mãos especiais”, o Projeto Cultivar recupera matas ciliares na região de Maringá, no Paraná, com a colaboração de alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) e de detentos da Penitenciária Estadual de Maringá (PEM). Além de beneficiar cerca de 6.700 associados da Cooperativa Agroindustrial (Cocamar) com a recuperação de suas propriedades, a iniciativa possibilita a inclusão social de alunos excepcionais e de condenados.

Durante um ano, 620 mil mudas de espécies nativas foram produzidas para o reflorestamento de 150 quilômetros de margens de rios em cerca de 30 mil pequenas propriedades rurais abrangendo oito municípios. A parceria com o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) permitiu a capacitação técnica dos participantes, além da doação de sementes, substratos e tubetes.

O projeto Cultivar faz parte do Programa Estadual de Mata Ciliar da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná, contando também com o apoio da Prefeitura Municipal de Maringá e da multinacional alemã BASF.

Participante: Consórcio Intermunicipal Ribeirão Lajeado

Nome do Projeto: Gestão Ambiental pelo Consórcio intermunicipal Ribeirão

Lajeado

Local: Penápolis-SP

Previsto para durar 20 anos a partir de sua criação, em 1992, o Consórcio Intermunicipal Ribeirão Lajeado realiza programas de educação ambiental, recomposição da mata ciliar, manejo conservacionista do solo, coleta de águas pluviais e conservação de estradas rurais por meio de levantamentos feitos pela Companhia Energética de São Paulo (CESP) e pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

A iniciativa surgiu das prefeituras de Penápolis, Alto Alegre e Barbosa, unindo-se para formar o consórcio, com apoio da Casa de Agricultura dos três municípios, da Companhia de Desenvolvimento Agrícola do Estado de São Paulo (Codasp), da Companhia de Tecnologia e Saneamento Ambiental (Cetesb), de proprietários rurais e lideranças do setor agrícola.

Participante: Copebrás Ltda.

Nome do Projeto: Estudo da Biodiversidade

Local: Cubatão-SP

Analisar os impactos ambientais do pólo industrial de Cubatão a partir de um vasto levantamento sobre o ecossistema da região é o foco do projeto “Estudo da Biodiversidade”, da Copebrás - companhia de mineração e produção de insumos químicos fosfatados destinados à agricultura, alimentação animal, higiene e limpeza.

Em conjunto com a Ambiens, empresa especializada em projetos ambientais, a Copebrás desenvolveu, entre 2004 e 2006, um amplo estudo florístico e fitossociológico, além de uma avaliação e o monitoramento da fauna, o qual resultou em uma publicação científica, com centenas de fotos, gráficos e mapas geoprocessados em 212 páginas. Entre as propostas de continuidade, estão a amostragem de área de controle, o programa de recuperação de áreas degradadas, com produção de mudas em andamento e o monitoramento da flora e da fauna.

Categoria Tecnologia

Participante: Fazenda Ecológica Santa Fé do Moquém

Nome do Projeto: Pastagem Ecológica – Sistema Voisin Silvipastoril

Local: Guarapari-ES

Por iniciativa individual do engenheiro agrônomo, pesquisador e produtor rural Jurandir Melado, o sistema de pastagem ecológica vem colhendo os frutos de sua inovação - uma tecnologia de processos agroecológicos que reduz o consumo de insumos e equipamentos industriais. Situada na Baixada Cuiabana, a fazenda ecológica Santa Fé do Moquém conquistou o dobro da produção de capim com total preservação ambiental, transformando sua proposta agroecológica em política pública, a qual serve como alternativa para o desenvolvimento sustentável da pecuária.

Entre as vantagens do sistema, destacam- se o aumento da capacidade de lotação das pastagens, a recuperação natural de pastagens degradadas, o aumento da biodiversidade da pastagem, a melhoria das condições de fertilidade e permeabilidade do solo, a redução do nível de resíduos, o controle natural de pragas, a conservação de recursos hídricos e o seqüestro de carbono.

Participante: Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL)

Nome do Projeto: Tecnologia de Quebra de Coco Babaçu

Local: Campinas-SP

Experimentos de quebra do coco babaçu, com a utilização de técnicas variadas, feitos pelo Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), levaram ao desenvolvimento do equipamento “Corta Coco”. Ele permite aumentar o rendimento de quebra de 1,85 cocos/minuto para 7,88 cocos/minuto – cerca de 426%, sem perda significativa das amêndoas e com alta minimização de riscos de acidente.

O custo final de R$ 430,40 do equipamento em laboratório torna- o acessível às quebradeiras autônomas e às cooperativas. O coco babaçu tem grande importância social e econômica no Nordeste brasileiro. O processamento industrial da amêndoa é uma realidade no Maranhão, mas a colheita e o descascamento do fruto continuam sendo um problema social em razão da mão-de-obra escrava, da exploração do trabalho infantil e do alto risco de acidentes.

Participante: Colégio Presidente Emilio G. Médici, da Fundação Bradesco

Nome do Projeto: Embueiramento de Esgoto a Céu Aberto com o Aproveitamento

de Pneus Descartados

Local: Bagé-RS

A utilização de pneus usados para o embueiramento de esgoto a céu aberto é a proposta do Colégio Presidente Emilio G. Médici, mantido pela Fundação Bradesco, o qual mobilizou alunos e famílias de baixa renda da região de Bagé, no Rio Grande do Sul.

Os resultados desta tecnologia social de baixo custo podem ser rapidamente notados, beneficiando a saúde pública e a infra-estrutura da região com o saneamento. Acabando com o esgoto a céu aberto, evitam-se entupimentos, além disso, a diminuição de depósitos de pneus velhos contribui para reduzir a proliferação da dengue. O sucesso do projeto levou os alunos e a comunidade a aplicarem o mesmo processo em ruas residenciais.

Fonte: LVBA Comunicação

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em