Escola de Samba `Unidos do Morrinho` transforma pneus velhos em arte

Transformar pneus usados em cadeiras é a alternativa ecológica encontrada pela Escola de Samba “Unidos do Morrinho”, de Santo Antônio de Leverger, localizada a 27 km de Cuiabá (MT). A idéia além de reaproveitar pneus é oferecer à comunidad

  
  

Transformar pneus usados em cadeiras é a alternativa ecológica encontrada pela Escola de Samba “Unidos do Morrinho”, de Santo Antônio de Leverger, localizada a 27 km de Cuiabá (MT).

A idéia além de reaproveitar pneus é oferecer à comunidade uma nova fonte de renda. A escola também mantém uma creche que atende 37 crianças de 2 a 14 anos. Nela, os pequenos recebem orientações sobre meio ambiente e cidadania.

“Nossos alunos aprendem desde cedo a preservar a natureza. Eles vêem os pais transformarem o lixo em arte e também fazem sua parte limpando o nosso maior cartão postal, o Morro de Santo Antônio”, conta a presidente da Unidos, Luísa Rodrigues Oliveira. Ela explica que são realizados “passeios ecológicos” onde os alunos retiram da natureza o lixo deixado pelos turistas que visitam a região.

Fundada em março de 2001, a Unidos do Morrinho desfilou este ano na capital com o tema “Cuiabá dos meus sonhos”, com 90% de suas fantasias confeccionadas a partir do reaproveitamento de papel, papelão, garrafas pet, palha de coqueiro, mandioca e bambu, a escola foi a primeira colocada no carnaval cuiabano.

“Esta foi a maneira que encontramos para colocarmos toda comunidade do Morrinho na avenida sem gastar muito dinheiro. Deu tão certo que a comissão julgadora nos deu dez em todos os quesitos”, garante a presidente. Mas a escola não funciona apenas no carnaval.

Além da creche, a Unidos mantém 30 famílias da comunidade Morrinho que recebem cestas básicas e palestras sobre temas variados. Na creche também são atendidos jovens e pais dos que particicpam de oficinas de artesanatos, marcenaria, “fuxico” e bordados.Ainda oferece aulas de reforço, capoeira, balé, teatro, dança. Os adolescentes ao terminarem o ensino fundamental, concorrem a bolsas nos melhores colégios da capital e nos cursos de inglês.

“O que queremos é dar uma perspectiva de vida melhor para os adolescentes e jovens, que geralmente possuem visão limitada e se acostumaram com a subordinação. Eles precisam acreditar no próprio potencial e melhorar sua auto-estima”, conclui Luisa.

A escola de samba e a creche são mantidas com doações de empresas e empresários e com a venda de materiais fabricados pelos pais, como roupas e bolsas de fuxico e as cadeiras de pneus.

Fonte: Estação Vida

  
  

Publicado por em