Excesso de chuvas provoca enchentes e problemas nas redes de esgotos

As enchentes não são os únicos transtornos que a população da Grande São Paulo enfrenta com as chuvas que ocorrem durante o verão. Neste período o que também se observa é um significativo aumento no número de reclamações de extravasamentos de esgotos e ga

  
  

As enchentes não são os únicos transtornos que a população da Grande São Paulo enfrenta com as chuvas que ocorrem durante o verão. Neste período o que também se observa é um significativo aumento no número de reclamações de extravasamentos de esgotos e galerias de águas pluviais.

A Central de Atendimento Telefônico da Sabesp (195), por exemplo, contabilizou durante o verão, entre os meses de janeiro e fevereiro de 2003, 29.111 ligações de clientes comunicando problemas relacionados a rede de esgotos. Porém, nos meses de junho e julho, quando as temperaturas baixam e as precipitações diminuem, o número de ligações caiu para 24.945.

Em geral, o problema tem origem dentro dos próprios imóveis, quando, por ocasião da construção ou de reformas, são ligados ralos de escoamento de chuva à instalação de esgotos.

Isso pode ocorrer por desconhecimento de que os sistemas de águas pluviais e de esgotos são separados, ou por confusão de quem executa a reforma, ou por conveniência, para não fazer um novo ramal até a rua, exclusivo para escoamento de áreas descobertas, por exemplo.

As águas de chuvas são, nesses casos, conduzidas para o sistema de coleta de esgotos, que não é projetado para suportar um volume excessivo, de até três vezes o normal (150l/hab/dia), e acaba extravasando.

Segundo o gerente do Departamento de Engenharia e Operação da Sabesp, Hélio Padula, entre 2000 e 2002, a Companhia realizou uma pesquisa em 8 mil imóveis localizados na região do Parque do Ibirapuera, que apontou que 15% das casas tinham águas pluviais clandestinamente ligadas à rede de esgotos, e apenas 1% dos imóveis com esgotos conectados irregularmente à galeria de águas pluviais.

`Não há como prevenir este tipo de problema, mas a solução está, principalmente, na conscientização da população e na orientação dos responsáveis pela ligação do Ramal Interno às redes coletoras`, afirmou Padula.

As galerias de águas pluviais são de responsabilidade das prefeituras, que as instalam para que escoem a água das chuvas diretamente para os rios. Já as redes coletoras de esgoto são assunto das concessionárias de serviços de saneamento, que não tem poder de punição, podendo apenas notificar o morador e aconselhá-lo a fazer a ligação correta à rede.

Para verificar se a ligação está correta, isto é, ligada à rede coletora de esgotos, técnicos da Sabesp fazem um teste lançando corantes nas instalações sanitárias dos imóveis (vasos sanitários, pias, etc...), observando seu destino final - rede coletora de esgotos, bocas de lobos e galerias de águas pluviais, sendo as duas últimas ligações irregulares.

Fonte: Sabesp

  
  

Publicado por em