FAO destaca benefícios do algodão BT na China

A biotecnologia agrícola pode gerar benefícios econômicos, sociais e ambientais. A conclusão é da FAO - Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura, em recente relatório intitulado Agricultura mundial: rumo a 2015/2030. O maior e

  
  

A biotecnologia agrícola pode gerar benefícios econômicos, sociais e ambientais. A conclusão é da FAO - Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura, em recente relatório intitulado "Agricultura mundial: rumo a 2015/2030".

O maior exemplo de sucesso no emprego da biotecnologia, segundo o relatório, é o algodão Bt (resistente a insetos-pragas) na China.

Segundo a entidade, os cotonicultores chineses que adotaram o algodão geneticamente melhorado reduziram em 80% o uso de inseticidas, e também obtiveram maior produtividade: produzem 3,37 toneladas por hectare, contra 3,18 toneladas por hectare produzidas pela variedade convencional.

Além disso, o algodão Bt reduz em 28% o custo de produção. Os benefícios da utilização de algodão resistente a insetos no país foram calculados em US$ 334 milhões em 1999.

O algodão Bt tem um gene do Bacillus thurigiensis, que lhe confere característica inseticida, e foi implantado na China em 1997, quando ocupou 2 mil hectares.

Em 2002, a variedade foi cultivada em 2,1 milhões de hectares, o que representa 51% da área total de algodão no país. Segundo a FAO, o governo chinês e agricultores relatam um aumento na biodiversidade de insetos nos campos de algodão Bt.

Além disso, foram constatados benefícios à saúde dos agricultores: 5% dos trabalhadores nos campos de algodão Bt foram contaminados com inseticidas, contra 22% nas plantações de algodão convencional.

Mais informações sobre a FAO estão disponíveis no site.

Fonte: FAO

  
  

Publicado por em