FURB coordena projeto de controle biológico do amarelinho

Pesquisadores da FURB (Fundação Universidade Regional de Blumenau), em Santa Catarina, estão desenvolvendo uma pesquisa buscando o controle biológico do ipê mirim, amarelinho ou ainda falso ipê de jardim (todos nomes vulgares da planta Tecoma stans), uma

  
  

Pesquisadores da FURB (Fundação Universidade Regional de Blumenau), em Santa Catarina, estão desenvolvendo uma pesquisa buscando o controle biológico do ipê mirim, amarelinho ou ainda falso ipê de jardim (todos nomes vulgares da planta Tecoma stans), uma espécie exótica invasora que ocupa mais de 50.000 hectares de pastagens no Paraná.

Destes 50.000 hectares, 15.000 estão totalmente improdutivos.O projeto é patrocinado pelo MMA/PROBIO, coordenado pelo Laboratório de Monitoramento e Proteção Florestal do Departamento de Engenharia Florestal da FURB e possui outras duas Universidades parceiras, a UEL (Universidade Estadual de Londrina) e a UFPR (Universidade Federal do Paraná).

O projeto visa a seleção de inimigos naturais (insetos e fungos) principalmente, para uso como agentes de controle desta planta invasora.

Ao final do projeto será publicado um plano de manejo para esta espécie com uma série de medidas técnicas e também propostas de políticas relacionadas principalmente a questão da introdução de espécies exóticas no Brasil.

No Rio Grande do Sul, a planta também está presente, principalmente na região da serra gaúcha e da cidade de Santa Maria, porém associada não mais a pastagens, mas às margens de rodovias e iniciando infestações em áreas de floresta nativa.

Também foi detectado um pequeno foco de infestação em Santa Catarina, no município de Concórdia.Esta planta, que é originária do México, foi introduzida no Brasil como ornamental.

Fonte: FURB

  
  

Publicado por em