Furnas conclui estudo do Rio Madeira

Os estudos de viabilidade técnica do complexo hidrelétrico do Rio Madeira (RO) estarão concluídos até dezembro deste ano, quando serão encaminhados à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Já os relatórios de impacto ambiental serão entregues e

  
  

Os estudos de viabilidade técnica do complexo hidrelétrico do Rio Madeira (RO) estarão concluídos até dezembro deste ano, quando serão encaminhados à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Já os relatórios de impacto ambiental serão entregues em março de 2005 ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). No relatório, Furnas Centrais Elétricas, em parceria com a Construtora Norberto Odebrecht, propõe a construção das hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio.

Projetadas para pequenas quedas, as usinas utilizariam turbinas do tipo bulbo, que convertem a energia cinética da água em energia elétrica. Essas usinas alagariam áreas que normalmente já são inundadas no período de chuvas.

`O fato de sugerirmos hidrelétricas de baixa queda com pequena área alagada, numa região pouca habitada, reduz e muito o impacto ambiental`, explica o assistente da Superintendência de Empreendimentos de Geração de Furnas, Márcio Antônio Arantes Porto.

Juntos, os dois projetos, que estão incluídos no Plano Plurianual do governo federal para o período de 2004 a 2007, terão cerca de 7 mil MW de potência instalada.

Após a conclusão dos estudos, a instalação do complexo do Rio Madeira dependerá do andamento do cronograma estabelecido pelo governo, como a obtenção da licença ambiental prévia, o que poderá ficar a cargo da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), e finalmente da licitação para a escolha dos investidores responsáveis pelos empreendimentos.

Os investimentos previstos para construção do complexo chegam a US$ 4,5 bilhões e incluem a construção das duas unidades, além de eclusas que permitirão a navegação.

De acordo o estudo de Furnas, o Rio Madeira possui acima da cidade de Porto Velho até a foz do Rio Beni , um total de 15 obstáculos naturais à franca navegação, mas as eclusas instaladas nas hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau permitirão a navegação plena até a Bolívia.

Segundo avaliação dos responsáveis pelo estudo de viabilidade técnica, a hidrovia do Rio Madeira, junto com a do Rio Mamoré, poderá representar uma redução da ordem de 3.600 milhas náuticas no transporte de produtos para a Ásia.

`Com a elevação do nível da água, os trechos com bloqueios naturais - como corredeiras e pequenas cachoeiras - serão inundados facilitando ainda mais a navegação no curso do rio`, explica Márcio Porto.

Para Furnas, a implantação do complexo hidrelétrico vai demandar investimentos conjuntos dos setores público e privado, dos fundos de pensão, além de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), do Banco Mundial e de outras fontes.

O trecho analisado no Rio Madeira - 260 quilômetros - está localizado no Estado de Rondônia, entre Porto Velho e Abunã, na fronteira com a Bolívia.

Fonte: Eletrobrás

  
  

Publicado por em