Gaúcho que pesquisou o Polo Sul retornou ao Brasil

O primeiro brasileiro a alcançar o Pólo Sul geográfico pelo gelo (alguns já o fizeram de avião), o geólogo gaúcho Jefferson Cárdia Simões, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), retornou ao Brasil na quinta-feira(13/1/5). Depois de perc

  
  

O primeiro brasileiro a alcançar o Pólo Sul geográfico pelo gelo (alguns já o fizeram de avião), o geólogo gaúcho Jefferson Cárdia Simões, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), retornou ao Brasil na quinta-feira(13/1/5).

Depois de percorrer 2300 quilômetros sobre o manto de gelo antártico (média de 25 graus negativos), com um trator polar, durante mais de dois meses, Simões, que faz parte da missão científica chileno-brasileira (composta de 13 pessoas), volta para casa com o dever cumprido.

O objetivo da missão é estudar o papel da Antártica nas alterações ambientais do planeta nos últimos 400 anos, com ênfase no controle do clima da América do Sul. Para isso, foram feitas perfurações no gelo (entre 22 e 46 metros de profundidade),coletadas dezenas de amostras de neve e 1200 km de levantamentos geofísicos (para determinar espessura, velocidade e estrutura interna do gelo).

O outro brasileiro da equipe, Francisco Aquino, também professor da UFRGS, permaneceu na base chilena de Patriot Hills para monitorar a viagem do grupo.

A participação brasileira na expedição é patrocinada pela Petrobras e tem o apoio do CNPq, do Ministério do Meio Ambiente, da Secretaria da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar e da Academia Brasileira de Ciências.

A Antártica é o maior deserto do planeta, com profundas fendas no gelo, onde os ventos chegam a 160 quilômetros por hora.

Simões volta ao Brasil cheio de histórias para contar. O risco de cair com o trator em uma fenda de 30 metros de profundidade, as miragens criadas pelo deserto antártico, as visões das “nuvens de diamantes” formadas pela sublimação do vapor d’água no céu que se transforma em milimétricos cristais de gelo são algumas delas.

Interessantes também são as peculiaridades de se estar na Antártica, onde se pode utilizar qualquer fuso horário, porque todos os meridianos convergem para o pólo e onde, nesse período de verão, não há noite.

Jéfferson Simões é o principal explorador e cientista polar brasileiro. Ao longo de uma carreira de vinte anos,realizou 13 expedições à Antártica e 2 ao Ártico.

Durante esse período, viveu mais de 20 meses em geleiras. Foi o primeiro brasileiro a obter o grau de Ph.D. em Glaciologia, em 1990 pelo instituto de pesquisas polares da Universidade de Cambridge. Hoje, é um dos líderes do Programa Antártico Brasileiro (Proantar). Ele vive com a esposa e dois filhos adolescentes em Porto Alegre.

Fonte: Gerência de Imprensa da Petrobras

  
  

Publicado por em