Governo anuncia investimento em tecnologia na área de energia

O MCT - Ministério da Ciência e Tecnologia anunciou o investimento de R$ 10,4 milhões no desenvolvimento de produtos com inovação tecnológica nas áreas de petróleo, gás natural, energias renováveis, mineração e metalurgia, por meio do Programa Rede Brasil

  
  

O MCT - Ministério da Ciência e Tecnologia anunciou o investimento de R$ 10,4 milhões no desenvolvimento de produtos com inovação tecnológica nas áreas de petróleo, gás natural, energias renováveis, mineração e metalurgia, por meio do Programa Rede Brasil de Tecnologia.

Os convênios de cooperação técnica foram assinados no dia 2/10, entre o MCT, o Ministério de Minas e Energia a Petrobras e a Eletrobrás.

Para Roberto Amaral, ministro da Ciência e Tecnologia, o programa tem como objetivo principal a construção de tecnologia que possibilite ao país a produção de equipamentos atualmente importados.

Os editais foram lançados nesta mesma semana e a fonte dos recursos são os Fundos Setoriais CT-Petro e CT-Energia. Na área mineral, será apoiado o projeto de substituição da importação de equipamentos para a extração de rochas ornamentais no Espírito Santo, com R$ 400 mil.

No caso do acordo com a Petrobras, serão desenvolvidos equipamentos utilizados em plataformas marítimas, controladores programáveis para sistemas de segurança e bombas centrífugas utilizadas no refino do petróleo. O edital que será lançado prevê recursos de R$ 4 milhões.

Outro acordo destinará R$ 6 milhões para o desenvolvimento de geradores eólicos nacionais e componentes para sistema de energia solar, além do aprimoramento do processo de fabricação de módulos para geração de energia elétrica a partir dos raios solares em escala industrial.

Ainda no setor de energia, parte dos recursos será aplicada pelo Inpe - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, no estudo de sistemas de alimentação elétrica de satélites, também com raios solares.

Segundo o MCT, o Programa Rede Brasil deverá ser lançado oficialmente pelo Presidente da República ainda este mês. Para o próximo ano, tem como meta investir R$ 50 milhões em projetos desenvolvidos em parcerias entre universidades e empresas.

O objetivo é gerar produtos em condições comerciais competitivas, que hoje não existem ou que são importados, e que possam até mesmo ser exportados.

Fonte: Agência Fapesp

  
  

Publicado por em