Governo libera recursos para pesquisas com o café brasileiro

O Governo Federal acaba de liberar 5,2 milhões de reais para a continuidade dos trabalhos de pesquisa e desenvolvimento do café brasileiro. Os recursos foram repassados para o Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolv

  
  

O Governo Federal acaba de liberar 5,2 milhões de reais para a continuidade dos trabalhos de pesquisa e desenvolvimento do café brasileiro. Os recursos foram repassados para o Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café (CBP&D/Café), coordenado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e administrado pela Embrapa Café. Estes recursos são provenientes do Funcafé - Fundo de Defesa da Economia Cafeeira.

Segundo o Gerente Geral da Embrapa Café, Gabriel Bartholo, este recurso irá permitir que seja iniciada a programação estabelecida para o Consórcio em 2005, com o desenvolvimento de 28 projetos de pesquisa nas áreas de Produção Sustentável do Café e Transferência de Tecnologia e Comunicação Integrada.

Ele também será usado para o apoio na realização de grandes eventos ligados ao café que ocorrerão este ano no país, como a II Conferência Mundial do Café, a ser realizada de 23 a 25 de setembro, em Salvador, BA; e o 1º Workshop Internacional sobre Resistência Durável do Cafeeiro à Ferrugem, que ocorrerá de 26 a 28 de setembro em Viçosa, MG.

Outra aplicação dos recursos será na manutenção
de bolsistas, estagiários, pesquisadores externos e consultores, fundamentais ao desenvolvimento do programa de pesquisa.

Bartholo explica que esta é a primeira parcela dos recursos para a pesquisa que estavam bloqueados desde o início do ano pelo Governo Federal. Agora, aguarda-se a liberação da segunda parcela, de 6,8 milhões de reais, que serão utilizados na continuação dos projetos iniciados, bem como para a abertura de novos projetos que serão desenvolvidos em 2006.

Bartholo lembra que a liberação dos recursos foi possível devido ao esforço concentrado do Secretário de Produção e Comercialização do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Linneu Carlos da Costa Lima, do diretor do Departamento do Café daquele ministério, Vilmondes Olegário da Silva e em especial do secretário executivo do MAPA, Luiz Carlos Guedes Pinto.

E acrescenta que `este recurso chegou na hora certa, pois a programação de pesquisa do Consórcio já estava em vias de ser comprometida pela paralisação de alguns projetos importantes como o do Genoma do Cafeeiro e de Cafeicultura Irrigada; e, com ele, será possível retomar projetos que já haviam sido paralisados, como é o caso das pesquisas em difusão e transferência de tecnologia`.

Pesquisa e Desenvolvimento:

Entre os projetos a serem desenvolvidos este ano pelo Consórcio, ênfase será dada na comunicação integrada entre os participantes do Consórcio e entre estes e os veículos de comunicação de massa e os representantes dos produtores, como cooperativas e associações, a fim de que as tecnologias cheguem de forma mais rápida e eficiente para o setor produtivo.

Outro projeto de grande importância e que não pode parar, segundo Bartholo, é o do Genoma do Cafeeiro, cujos resultados já obtidos colocou o Brasil na liderança das pesquisas para o conhecimento das
características genéticas desse produto historicamente importante para o desenvolvimento do país.

Cientistas brasileiros, trabalhando desde fevereiro de 2002 no Projeto Genoma Café, concluíram recentemente o primeiro seqüenciamento mundial do genoma do cafeeiro, construindo um banco de dados com 200 mil seqüências de DNA. Isso permitiu a identificação de mais de 30 mil genes responsáveis pelos diversos mecanismos de crescimento e desenvolvimento da planta. Com esse resultado, os pesquisadores brasileiros estão, no momento, trabalhando na decodificação do genoma do cafeeiro.

Fonte: Embrapa Café

  
  

Publicado por em