Greenpeace alerta para os perigos de substâncias tóxicas encontradas dentro de casa

Greenpeace lançou ontrem a Campanha Veneno Doméstico, com o objetivo de detectar as substâncias tóxicas presentes dentro de nossas casas. Na primeira fase da campanha, selecionaremos 60 residências em três Estados brasileiros: São Paulo, Rio Grande do Sul

  
  

Greenpeace lançou ontrem a Campanha Veneno Doméstico, com o objetivo de detectar as substâncias tóxicas presentes dentro de nossas casas. Na primeira fase da campanha, selecionaremos 60 residências em três Estados brasileiros: São Paulo, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, para realizarmos a coleta da poeira que será analisada no laboratório holandês TNO - atualmente um dos mais adequados para fazer esse trabalho. Os dias e horários das coletas serão divulgados com antecedência.

Existem substâncias tóxicas - presentes numa série de produtos de consumo diário - que podem causar sérios danos à nossa saúde e ao meio ambiente. Essas substâncias estão presentes na fabricação de carpetes, brinquedos (especialmente os que usam o PVC), eletrodomésticos e cosméticos, entre outros.

`Num primeiro momento, a campanha pretende alertar a população e os consumidores sobre o descontrole por parte da indústria e do governo sobre as substâncias químicas e a contínua contaminação tóxica ocasionada por essa situação.

Temos pouco conhecimento ou controle sobre a quantidade das substâncias químicas que se produz e sobre sua toxicidade, o que quer dizer que estamos nos contaminando diariamente dentro de nossas próprias casas sem saber`, afirma o coordenador da Campanha de Substâncias Tóxicas do Greenpeace, John Butcher.

Na Europa, escritórios do Greenpeace coletaram amostras de poeira doméstica em residências do Reino Unido, França, Espanha, Dinamarca, Suécia e Finlândia. As análises da poeira, realizadas por laboratórios independentes, revelaram quantidades significativas de:

- alcalinofenóis: disruptores hormonais usados em cosméticos e outros produtos de higiene pessoal;

- ésterftalatos: prejudiciais ao sistema reprodutivo, usados para tornar o PVC maleável e presente em brinquedos, interior de carros e cabos, perfumes, tintas e adesivos;

- substâncias químicas bromadas: prejudiciais ao sistema hormonal, usados para retardar a propagação do fogo;

- parafinas cloradas: potencialmente cancerígenas, usadas em tintas, plásticos e borrachas;

- compostos orgânicos à base de estanho: tóxicas para o sistema imunológico, usados como estabilizadores em plásticos (especialmente em PVC) e como tratamento contra mofo e poeira (ácaros) em alguns carpetes e pisos de PVC.

Na segunda parte da campanha, o Greenpeace, com os resultados das análises em mãos, demandará que as indústrias apliquem o que se conhece como `Princípio da Substituição`, que prevê o uso de substâncias não tóxicas no lugar das que são consideradas perigosas ou venenosas.

Como se pode ver, o objetivo maior da organização é promover uma mudança de atitude das empresas e dos consumidores, provocando uma alteração em alguns sistemas de produção.

Para que tudo isso se concretize, o Greenpeace quer que o governo federal formule e implante uma Política Nacional de Segurança Química e que ratifique a Convenção de Estocolmo, tratado internacional que estipula o banimento inicial de uma lista de 12 Poluentes Orgânicos Persistentes (POPs), ou os `12 Sujos`, tidos como as substâncias mais tóxicas atualmente.

Os interessados em colaborar com a campanha `Veneno Doméstico` podem se inscrever até as 15h do dia 31 de outubro pelo site ou pelo telefone 3035-1176.

Já a coleta do material nas residências selecionadas está prevista para o período de 3 a 14 de novembro de 2003.

Fonte: Ass.Imprensa do Greenpeace

  
  

Publicado por em

Maria Fátima da Silva Costa

Maria Fátima da Silva Costa

25/08/2010 16:57:29
Tenho a impressão de que o povo brasileiro acha que a política é um brinquedo, ou seja, as grandes questões relacionadas ao meio ambiente, casos sérios de sáude da população nunca sairá do papel. Penso que as doenças sem cura nada mais é que uma resultante dos descasos no tratamento das substâncias tóxicas persistentes. As doenças cada vez mais agressivas, o planeta pedindo socorro e os políticos fazendo a festa, mediante os votos de um povo emburrecido pelo próprio sistema pernicioso.
SOCORRO!!!!!

Jose nazareno teofdosio da silva

Jose nazareno teofdosio da silva

18/10/2008 19:29:06
eu vejo que a natureza esta desaparencedo,motivo no qual os nossos governantes e o povo não se manifestão,não adianta,lutar sem prazer,sim com o coração e proteger o meio ambiente por ele pede socorro