Grupo de observação da gripe intensifica ações em São Paulo

O Grupo Regional de Observação da Gripe (Grog) da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo se prepara para intensificar em 2005 suas ações de vigilância epidemiológica no estado. Além de lançar um site com dados sobre a circulação do vírus Influenza

  
  

O Grupo Regional de Observação da Gripe (Grog) da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo se prepara para intensificar em 2005 suas ações de vigilância epidemiológica no estado.

Além de lançar um site com dados sobre a circulação do vírus Influenza (causador da gripe), estudos clínicos sobre a síndrome gripal, agenda de encontros de profissionais de saúde e publicações científicas, o Grog deverá ampliar o Sistema Sentinela de Vigilância do Influenza, que hoje conta com dois centros coleta na Capital.

De acordo com o coordenador do Grog, Luiz Jacintho da Silva, a Secretaria da Saúde já está em negociação para criar núcleos de vigilância no Hospital das Clínicas da USP de Ribeirão Preto e no Hospital de Base da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) já identificou a mutação do vírus Influenza que circulará no hemistério Sul em 2005: é o Wellington.

Segundo o geriatra João Toniolo Neto, da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal (Unifesp), este microorganismo apresenta `a mesma virulência do que circulou na última temporada de gripe`, marcada pela circulação do subtipo Fujian, que provocou uma forte epidemia nos Estados Unidos.

Todas as ações do Grog se desenvolvem paralelamente aos alertas da OMS sobre a possibilidade de a gripe de frango se transformar numa pandemia, capaz de atingir 30% da população mundial e provocar a morte de 2 a 7 milhões de pessoas.

Em reunião realizada em 25 de novembro com a participação de ministros da saúde da Associação das Nações do Sudeste Asiático (Japão, China, Coréia do Sul e Hong Kong), o representante da OMS na Tailândia, William Aldis, declarou que a vacina contra a gripe do frango deverá entrar em testes só a partir de 2007.

O encontro promovido pela OMS em Bangcoc, na Tailândia, teve o objetivo de garantir a cooperação das autoridades sanitárias da região na luta contra a gripe do frango.

De janeiro a setembro de 2004, a OMS notificou 43 casos de gripe aviária em seres humanos na Tailândia e no Vietnã. Do total de contaminados, 31 morreram. Em outubro, a autoridades sanitárias tailandesas identificaram o caso de uma família de quatro pessoas com gripe aviária, no qual teria havido transmissão entre seres humanos.

Até o momento, as investigações permitem inferir que a transmissão do vírus entre humanos tem sido limitada aos membros de uma mesma família, não havendo extensão à comunidade.

GROG

O Grog foi lançado em maio de 2004 com o objetivo de reforçar a vigilância epidemiológica no Estado de São Paulo. Originária da França e usada em vários países europeus, a marca Grog foi cedida à Secretaria de Saúde pelo laboratório franco-alemão Aventis Pasteur. Integram o comitê gerenciador do grupo representantes do Instituto Adolfo Lutz (o diretor Carlos Adalberto Sannazarro e a pesquisadora do Serviço de Virologia Terezinha Maria de Paiva); do Centro de Vigilância Epidemiológica(o diretor Carlos Magno Fortaleza e a diretora-técnica da Divisão de Doenças de Transmissão Respiratória Telma Regina Marques Pinto Carvalhanas); Hospital das Clínicas de São Paulo (Gabriel Oselka e Lúcia Bricks); Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal/Unifesp (João Toniolo Neto e Calil Farhat) e Aventis Pasteur (Jéssica Presa).

Em São Paulo, o Sistema Sentinela de Vigilância do Influenza segue o plano de vigilância epidemiológica determinado pelo Ministério da Saúde e adotado em 12 estados da federação.

Semanalmente, o sistema promove a coleta de amostras de pacientes com sintomas de gripe em duas unidades da Capital: o Hospital Menino Jesus e o Hospital da Vila Maria José Estoropolli. As amostras são submetidas a exame laboratorial no Instituto Adolfo Lutz que, ao lado Fundação Oswaldo Cruz/Fiocruz (Rio de Janeiro) e do Instituto Evandro Chagas (Belém do Pará), é um dos centros de referência epidemiológica do vírus Influenza.

Nas amostra positivas, o vírus é classificado por tipo e as mostras liofilizadas e remetidas ao Centro de Controle e Prevenção de Doenças de Atlanta (EUA), responsável por nova análise e complementação das características do vírus.

A OMS compara os dados de Atlanta com as informações do Instituto de Pesquisas Médicas do Reino Unido (em Londres, na Inglaterra) e do CSL Limited (em Melbourne, Austrália). Com base nessas análises, a OMS determina a composição da vacina contra a gripe para os laboratórios farmacêuticos.

Em 2005, o Sistema Sentinela será estendido para o Interior de São Paulo, com núcleos em Ribeirão Preto e São José do Rio Preto. A Secretaria da Saúde também está em tratativas para vincular ao sistema o Núcleo de Vigilância do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, na Capital.

`Além da coleta de amostras, vamos fazer a vigilância clínica dos casos de gripe com o objetivo de acompanharmos a evolução da epidemia no Estado`, afirma Luiz Jacintho, que também coordena os Institutos de Pesquisa da secretaria e responde pela SUCEN - Superintendência de Controle de Endeminas.

Outra ação do Grog será o lançamento de uma página eletrônica que, na análise do geriatra João Toniolo Neto (Unifesp), funcionará como um verdadeiro banco de dados da gripe no Estado de São Paulo. Acessada a partir do site do Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE), a página exibirá dados fornecidos pelo Sistema Sentinela e de outros centros de vigilância do País, informações sobre o vírus em circulação no hemisfério, surtos de gripe, agenda de eventos para profissionais de saúde e informações sobre trabalhos científicos sobre o assunto.

Fonte: Lu Fernandes Editora & Escritório de Comunicação

  
  

Publicado por em