Ibama assina Carta de Cooperação com Academia Chinesa de Florestas

Aproximação entre o Brasil e a China na área florestal, através da cooperação mútua em programas que contribuam para a promoção e desenvolvimento dos recursos florestais dos dois países, é o objetivo da Carta de Intenções assinada pela vice-presidente do

  
  

Aproximação entre o Brasil e a China na área florestal, através da cooperação mútua em programas que contribuam para a promoção e desenvolvimento dos recursos florestais dos dois países, é o objetivo da Carta de Intenções assinada pela vice-presidente do Ibama - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, Sandra Klosovski, e o vice-presidente da Academia Chinesa de Florestas, Cai Denguu, esta semana, em Brasília (DF).

Pelos termos da cooperação firmados, os trabalhos serão conduzidos através de atividades como o intercâmbio de pesquisadores e funcionários; expansão da mobilidade de estudantes de pós-graduação; atividades de pesquisa e publicações conjuntas; participação em seminários e encontros acadêmicos; intercâmbio de recursos vegetais e materiais acadêmicos (sujeitos a legislação e regulamento de ambos os países); e programas acadêmicos especiais de curta duração.

A Academia Chinesa de Florestas é a única instituição nacional de pesquisas sobe florestas na China. É diretamente subordinada à Administração de Florestas do Estado. Possui 19 institutos de pesquisas, centros de pesquisa e desenvolvimento e centros experimentais espalhados por todo o País.

O trabalho da Academia é desenvolvido nos campos de pesquisa de silvicultura, ecologia florestal, meio ambiente e proteção, genética e reprodução de árvores, conservação do solo e da água e combate à desertificação, ciência e tecnologia em madeiras, processamento químico de produtos florestais, técnicas de informação, maquinaria florestal, estratégias e políticas de macrodesenvolvimento florestal, economia e informação florestal.

Fonte: Ibama

  
  

Publicado por em