Ibama do Amazonas doa mais de 93 toneladas de peixe ao `Fome Zero`

Foram doadas pela Gerência Executiva do Ibama no Amazonas, mais de 93 toneladas de pescado a entidades filantrópicas e ao governo estadual, para os programas de apoio às famílias carentes incluídas no Programa Fome Zero, do governo federal. Duzentas mil

  
  

Foram doadas pela Gerência Executiva do Ibama no Amazonas, mais de 93 toneladas de pescado a entidades filantrópicas e ao governo estadual, para os programas de apoio às famílias carentes incluídas no Programa Fome Zero, do governo federal. Duzentas mil famílias vão ser beneficiadas na parceria com o governo do Amazonas.

“Até agora, já conseguimos atingir o número de 620 mil refeições com o peixe doado”, contabiliza José Leland, gerente-executivo do Ibama/AM. E a conta não pára por aí.

São 44 instituições filantrópicas beneficiadas em Manaus e no interior, além de algumas dezenas de entidades e milhares de famílias carentes, que também já receberam o pescado, distribuído quando as apreensões são feitas próximas aos municípios.

No último dia 5, a campanha ganhou um forte apoio com a adesão da Associação das Indústrias de Pescado do Amazonas, que fez a doação de 50 toneladas de peixes de várias espécies.

“Foi uma adesão de peso do setor, que está passando por um momento importante para sua organização e seu ordenamento no Estado”, comenta Leland.

Mais uma articulação do Ibama/AM que promete é a parceria com a Associação dos Armadores de Pesca do Amazonas, que concentra os donos de barcos de pesca profissional.

“Estamos realizando uma campanha de conscientização para que cada barco atracado no porto de Manaus faça a doação de parte do produto pescado”, explica Clara Maria Pantoja, uma associada.

O volume de pescado apreendido no Amazonas chega a 43 toneladas neste período de defeso (proibição da pesca), que vai até o final do mês.Todo o pescado estava sendo transportado em barcos de pesca profissional e em barcos de passageiros, que estão proibidos de comercializar o produto. As multas aos donos das embarcações chegam a R$ 300 mil. A maioria das apreensões foi feita na calha do rio Solimões.

Fonte: Agência Brasil

  
  

Publicado por em